A OMS emitiu uma alerta global sobre zika vírus e reconheceu sua relação com microcefalia.
A OMS emitiu uma alerta global sobre zika vírus e reconheceu sua relação com microcefalia.

A Secretaria Estadual da Saúde (Sesau) acabou de confirmar que mais dez casos de microcefalia foram registrados no Estado. Os bebês com a má-formação congênita em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada nasceram no Hospital e Maternidade Dona Regina, em Palmas. Com isso, no Estado, sobe para 22 o número de registros da doença somente neste ano. Os outros 12 casos foram registrados em Araguaína.  Em 2014, não houve nenhum registro.

No levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde, na última segunda-feira, o Brasil registrava 1.248 casos de microcefalia, sendo a maioria na região Nordeste. O Tocantins configurava na lista dentre os dez estados com maior número de registros.

 Vírus

Em relação ao zika vírus, tipo de doença parecida com a dengue, no entanto, mais branda, e apontada como uma das causas da microcefalia, a Sesau contabilizou seis casos confirmados no Estado neste ano. Os pacientes são de Palmas (4), Araguaína (1) e Colinas do Tocantins (1). Conforme investigação epidemiológica dos casos, os seis pacientes contraíram a infecção no Estado e não apresentaram quadro que necessitasse de internação.

A OMS emitiu uma alerta global sobre zika vírus e reconheceu sua relação com microcefalia. No comunicado aos países-membros, foi pedido para que os países se capacitem para poder diagnosticar a doença e se preparar um aumento no número de casos reforçando o atendimento pré-natal e neurológico. (com informações do G1)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.