Vídeo ‘Especial de Natal’ do Porta dos Fundos foi alvo de inquérito (Foto: Reprodução/Porta dos Fundos/Youtube)

O Ministério Público Federal (MPF) arquivou um inquérito, após denúncia do deputado federal Marco Feliciano (PSC), que investigava suposta ofensa aos cristãos em um vídeo chamado “Especial de Natal”, do grupo humorístico Porta dos Fundos. A decisão foi anunciada pelo MPF na terça-feira (1º).

Feliciano apontava “discurso de ódio” contra a população cristã e citava o artigo 208 do Código Penal, que fala sobre o escárnio público de alguém por crença religiosa. O Porta dos Fundos, por sua vez, defendeu que não tinha intenção de humilhar os fieis e se baseava na liberdade de expressão.

A procuradora regional da República Maria Helena de Paula concordou com o entendimento do grupo. “A liberdade de expressão só deve sofrer restrições em situações extremas, visando à proteção de outro direito fundamental. Como não há no vídeo incitação ao ódio nem ridicularização de fiéis, ele não caracteriza ofensa à dignidade dos cristão”, escreveu na decisão.

Histórico de conflito
Os desentendimentos entre o deputado e o grupo humorístico são antigos. Em janeiro, Feliciano encaminhou ao MP-SP um pedido de investigação do mesmo vídeo. Em 2013, ele pediu para que outro vídeo do ‘Porta’ fosse retirado do ar. Nenhum dos casos foi adiante.

VEJA TAMBÉM
Guerra entre Etiópia e Eritreia pode afetar cristãos

O vídeo

Foram vários esquetes reunidos em um episódio de 16 minutos intitulado “Especial de Natal”.

Cada um deles trata de uma passagem da vida de Cristo. Como sempre, recheados de palavrões e piadas de gosto duvidoso. No primeiro episódio, Deus, anjo Gabriel e Maria precisam dar a notícia que José, o carpinteiro, não é o pai do menino que a virgem espera. O segundo mostra os três reis magos em problemas com a polícia.

Outro esquete mostra Jesus levando Maria Madalena para conhecer seus pais e se mostra envergonhado com a “profissão” dela. Mostra ainda, Jesus e os apóstolos tentando conseguir uma mesa em um restaurante para celebrar a última ceia. Por fim, Jesus debate com o homem encarregado de crucificá-lo. No intervalo entre os episódios, um Papai Noel mostra as dificuldades que as pessoas que interpretam o personagem passam nessa época do ano.

Gregorio Duvivier, um dos roteiristas do Porta dos Fundos, que interpreta Jesus nos episódios, explicou à Folha de São Paulo.  “É a nossa superprodução… Onde as pessoas mais veem o Porta é em reuniões familiares. No Natal passado, o acervo todo teve uma visualização recorde”, diz ele.

VEJA TAMBÉM
Teólogo defende que cristãos não podem ser contra Israel

Com informações G1 e GospelPrime com alterações JM

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.