O deputado federal Silvio Costa, vice-líder do governo na Câmara, comunicou nesta segunda-feira (07), a desfiliação do PSC.

silviocos
Silvio era o único do PSC que votava com o governo Credito: Câmara dos Deputados/Divulgação.

Segundo ele, a decisão foi tomada após a sigla apoiar o pedido de impeachment acatado pelo presidente do Poder Legislativo, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Sílvio escreveu uma nota rápida. Ele e Jarbas Vasconcelos (PMDB), que é da oposição, foram os primeiros a se posicionar e pressionar para que Eduardo Cunha deixasse a presidência enquanto estava sendo investigado pela Operação Lava-Jato, na qual é acusado de desviar recursos da Petrobras. Silvio chamou Cunha de “desqualificado” e criticou os nomes indicados pelo PSC para integrar a comissão que vai analisar o impeachment de Dilma, que são Eduardo Bolsonaro (PSC), filho de Jair Bolsonaro, e o pastor Marco Feliciano (PSC)

Veja a íntegra da carta

“Comunico que me desfiliei do Partido Social Cristão – PSC, porque não é possível continuar em um partido conivente com um dos maiores ataques às instituições democráticas já realizados no Brasil, que foi o pedido de Impeachment acatado pelo Presidente da Câmara Eduardo Cunha.

Um deputado desqualificado, que está tentando assaltar um mandato de uma Presidente digna e que lutou pela democracia em nosso país.

Entendi como uma agressão ao governo e à Presidente Dilma as indicações dos Deputados Eduardo Bolsonaro e Marco Feliciano, como membros titulares da Comissão que vai analisar o Impeachment. Dois parlamentares que ultrapassam os limites da política, beirando o ódio ao nosso governo e à Presidente Dilma. A oposição brasileira passou de todos os limites de convivência democrática. Não vai ter impeachment”. Diário do Pernambuco.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.