A Coreia do Norte condenou um pastor canadense à prisão perpétua por “crimes contra o Estado”. Hyeon Soo Lim foi preso na capital Pyongyang, onde realizava trabalhos humanitários desde o último mês de janeiro.

Depois de 90 minutos de julgamento, Lim foi considerado culpado por ter se unido à Coreia do Sul e aos Estados Unidos em uma suposta iniciativa contra a Coreia do Norte. O pastor é acusado de  ter distribuído propagandas falsas denegrindo a imagem do país e ajudado na fuga de “desertores” pela Mongólia.

Lim foi preso em fevereiro, depois de ter chegado ao país em 31 de janeiro deste ano ao lado de alguns colegas em uma missão humanitária. Segundo a sua família, o objetivo do pastor — que tinha atuação relevante na igreja presbiteriana — era fazer trabalho voluntário em um lar de idosos, uma creche e um orfanato.

O líder religioso assumiu que utilizava o trabalho humanitário como guia para planos subversivos de construção de um Estado religioso. Ele teria afirmado em seus sermões que a “Coreia do Norte deveria ser confrontada com o amor de Deus”.

Na Coreia do Norte, trabalhos com fundo religioso são proibidos pela lei. Por isso, autoridades norte-coreanas costumam prender estrangeiros que chegam ao país para este tipo de missão. Fonte: Extra

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.