O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por maioria, manteve na noite desta terça-feira (15) a condenação do presidente do Partido Verde no Tocantins, Marcelo Lelis, há oito anos de inelegibilidade. Ele foi condenado por abuso de poder econômico e captação ilícita durante as eleições municipais de Palmas em 2012, quando foi candidato a prefeito. Com isso, Lelis não poderá disputar eleições até o ano de 2020.

A inelegibilidade do político foi decretada em primeira instância pelo juiz Marcelo Faccioni, da 29ª Zona Eleitoral de Palmas, em agosto de 2013. Em setembro de 2014, o TSE rejeitou o registro da candidatura de Marcelo Lelis como vice na chapa de Marcelo Miranda (PMDB), na disputa para governador do Tocantins.

Naquela ocasião, após ter recurso negado no Tribunal Regional Eleitoral, a defesa do político havia alegado que a decisão do TRE não poderia surtir efeitos porque estariam pendentes de julgamento de recursos apresentados. O argumento, contudo, foi rejeitado pela maioria do TSE e ele não pôde fazer parte da chapa.

VEJA TAMBÉM
Lélis reage a acusações de Raul contra Cláudia e fala em covardia: “ele se baseou em práticas que são comuns a ele”

Com informações G1/TO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.