Farshid Fathi, preso há cinco anos, foi libertado ontem, dia 21, informou a organização Portas Abertas.

Embora tenha sido capturado um dia após o Natal, no ano de 2010, foi condenado a seis anos de prisão apenas em 2011, acusado por “agir contra a segurança nacional”, simplesmente por pertencer a uma organização cristã.

Cativeiro

Farshid estava entre os 22 cristãos que foram presos em Teerã, no dia 26 de dezembro de 2010. Até abril de 2011 todos eles foram liberados, menos Farshid, que em 2012 foi condenado a seis anos de prisão, acusado por “agir contra a segurança nacional” simplesmente por pertencer a uma organização cristã.

14_Iran_2014_0260010395

Segundo a sentença “ele fez propaganda contra o regime islâmico e ajudou na propagação do cristianismo no país”. Se ele fosse cumprir a pena integral, ficaria detido até 2017, mas as autoridades notificaram que ele pode ser solto em dezembro de 2015.

Além de Farshid, há outros casos judiciais sendo revistos, como o do pastor Behnam Irani, que está cumprindo uma sentença de seis anos, desde abril de 2010 e agora permitiram a ele uma licença de 15 dias, mediante o pagamento de uma fiança equivalente a US$ 50 mil (cerca de R$ 150 mil). Em outros casos, os cristãos são convocados a permanecer em liberdade também sob fiança.

VEJA TAMBÉM
Muçulmanos ajudam cristãos a recuperarem igreja destruída pelo EI

O Irã é o 7º país na Classificação da Perseguição Religiosa. Sabia mais sobre o país.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.