Estado Islâmico
A inteligência britânica acredita que o jihadista de preto (no centro) é Siddhartha Dhar(Twitter/ SITE Intel Group/Reprodução)

O homem que aparece no vídeo mais recente do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) coordenando a execução de cinco supostos espiões e ameaçando a Grã-Bretanha é o britânico Siddhartha Dhar, informa a rede BBC. Uma fonte da inteligência britânica, não identificada, afirmou à BBC que “muitas pessoas acreditam que é ele [Dhar]” e que esta é a principal linha de investigação.

Siddhartha Dhar é pai de quatro filhos, que morou no bairro londrino de Walthamstow, no norte da cidade, e fugiu para a Síria em 2014 quando estava em liberdade condicional por estimular o terrorismo. Dhar era hindu até sua conversão ao islã. Ele era proprietário de uma empresa de aluguel de castelos infláveis para festas e eventos. No vídeo, o homem, com sotaque britânico, se dirige ao primeiro-ministro britânico, David Cameron, a quem chama de “imbecil”. “Esta é uma mensagem para David Cameron, primeiro-ministro britânico: é surpreendente ouvir um líder insignificante como você desafiar o poder do Estado Islâmico”, afirma, antes da execução de cinco homens, acusados pelo EI de espionar para Londres. O serviço secreto britânico, no entanto, não confirmou se seus agentes foram assassinados.

A Grã-Bretanha participa nos bombardeios contra o EI na Síria e no Iraque e “nunca vai se acovardar ante este tipo de terrorismo”, respondeu Cameron. No final do vídeo aparece um menino com roupa militar e a faixa preta utilizada no rosto pelos militantes do EI. A criança foi identificada por seu avô londrino como o filho de uma britânica que viajou para a Síria em 2012.

Em novembro, o governo dos Estados Unidos anunciou a morte em um bombardeio na Síria de outro jihadista britânico que aparecia com frequência nos vídeos do Estado Islâmico, Mohammed Emzawi, conhecido como “John jihadista”, famoso por ter decapitado vários reféns ocidentais. Siddhartha Dhar vem sendo agora chamado na imprensa britânica de o “novo John jihadista”.

(VEJA)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.