A mensagem da esperança em Cristo anunciada pelos pais tem sido compartilhada e vivida pelos filhos de missionários. Grande parte dos FMs, como são conhecidos, se sente parte da missão que fez seus pais saírem do seu país e viverem em um novo contexto, às vezes muito distante da realidade que conheciam.

Por outro lado, os missionários veem com muita alegria nos filhos uma extensão de seu ministério. É o que tem acontecido na Guiné Equatorial, um pequeno país situado na costa ocidental da África.

Ali, o casal Marco Antonio e Margarete Silva tem atuado na cidade de Bata. A filha mais nova, Larrisa, tem 11 anos e já mostra que sente alegria em estar com outras crianças.

“Todos os domingos às 10h na Igreja Batista Missionária em Bata, Larissa está toda mat_guine-equatorial_FM-larissaanimada para ensinar suas histórias para seus alunos, todos com idade de um a seis anos”, conta a missionária Margarete. “Muitos vêm andando de longe para participar da classe bíblica. Nossa escola bíblica é bem animada, com cânticos, brincadeiras, historinhas e, claro, não pode faltar o lanchinho”, acrescenta.

VEJA TAMBÉM
Casal que se preparava para viagem missionária morre em acidente com seus três filhos

Marco Antonio e Margarete se mostram orgulhosos tanto de Larissa quanto de Maressa, a outra filha do casal, e a missionária diz que esse ardor missionário em tão tenra idade é “herança do Senhor”. Ela destaca a importância de ter os filhos focados na missão, mas não pode forçar suas filhas a seguirem seus passos em um ministério missionário, pois é Deus que faz nascer essa vontade no coração. Por ora, suas filhas são suas “missionariazinhas”.

“Minha oração é que os FMs sigam impactando as nações e levando esperança aos povos não alcançados”, conclui. (Via Missões Mundiais)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.