FotorCreatedDa Redação JM Notícia – Ricardo Costa

Teve inicio mais um capítulo envolvendo o líder da Igreja Mãe em Belém, pastor Samuel Câmara, e a liderança da CGADB no Brasil, que têm a frente o pastor José Wellington Bezerra da Costa.

Entenda

Inicia neste domingo (24), logo mais às 19 horas, a 7ª Assembleia Geral Extraordinária. O encontro convencional será realizado nas instalações do futuro templo-central da Assembleia de Deus – Ministério do Belém(SP) localizado à Rua Doutor Fomm, 140, próximo à estação Belém do Metrô.

A realização da AGE já foi questionada pelo pastor Jônatas Câmara,  líder da Convenção do Amazonas(CEADAM), por meio de ofício encaminhado à CGADB, sugerindo a suspensão da AGE, no entanto, segundo o JM Notícia apurou, a CGADB não teria dado nenhum retorno ao líder da CEADAM, Jônatas Câmara.

 A CEADAM tinha sugerido, caso persistisse a AGE e a Reforma, que a data de sua realização fosse alterada para um ou dois dias antes da AGO que acontecerá em abril de 2017 e que qualquer alteração, passasse a vigorar somente após a próxima a realização desta.

Igreja Mãe

Não concordando com realização da 7ª AGE da CGADB, da forma como vem sendo apresentada e as possíveis mudanças em seu estatuto, o CIMADB – Convenção da Igreja-Mãe das Assembleias de Deus no Brasil, presidida pelo Pastor Samuel Câmara, ingressou com Ação Cautelar Incidental com Pedido de Liminar, contra a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), pedindo que Mesa Diretora da CGADB acatasse votos dos convencionais, de maneira diferente do voto eletrônico (sim ou não), conforme tem acontecido nas últimas votações, no entanto, a Juíza Laice Ana Marron da Silva Cardoso, Titular da 9a. Vara Cível e Empresarial de Belém, no processo de número 0033119-96.2016.8.14.0301, indeferiu o pedido do líder assembleiano pastor Samuel Câmara.

VEJA TAMBÉM
Faltam 10 dias para as eleições da CGADB e registro de candidatura do pastor Wellington Júnior continua indefinido

               Leia também – 7ª AGE da CGADB: Ministros aprovam, por unanimidade, votação online e por cargos

O pastor Samuel Câmara alegou na ação que em fevereiro de 2017 será realizada a eleição para presidente da entidade e da mesa diretora da convenção, sendo que o atual presidente pastor José Wellington não poderá ser candidato e  teria indicado o seu filho pastor José Wellington Jr. para concorrer à presidência.

O líder da Igreja Mãe afirma no processo que a secretaria da CGADB teria negado fornecer o número total de inscritos, aptos a votar. Samuel Câmara diz que até o momento em que foi ingressada a ação, a CGADB teria ignorado o seu pedido.

Votação

Câmara ressalta ainda que a votação será por meio de sistema eletrônico, contratado pela CGADB sem qualquer auditagem prévia e com possibilidades de fraude. 

Decisão

A juíza, em sua decisão, alegou que o estatuto da CGADB estabelece a possibilidade tanto da votação eletrônica quanto da votação manual, não havendo o que questionar. “Não cabe a este juízo impor modelo de votação a escolha do autor na ação, isso seria ferir o principio do contraditório, pois o próprio instrumento legal da ré dispõe acerca dos meios utilizados”.

A juíza disse ainda na decisão que Samuel Câmara não teria apresentado qualquer comprovação que a ré tenha negado a fornecer a listagem dos inscritos para a AGE.

VEJA TAMBÉM
7ª AGE da CGADB: Ministros aprovam, por unanimidade, votação online e por cargos

A decisão da magistrada foi publicada no último dia 22, de janeiro de 2016.

justica

justiva

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.