Da Redação JM Notícia

O Prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), afirmou na manhã desta terça-feira (26), em reunião com a cúpula do PSDB, que ações tomadas pela gestão nos últimos meses, resultaram em perda de popularidade de 30 pontos. Segundo informou, a perda de popularidade tinha sido prevista.

amasthaata

O prefeito se referia ao que ele denominou de “medidas impopulares” que precisavam na época serem tomadas, como a demissão de servidores, diminuição de salários, cortes de despesas, devolução de cargos: “Olha! nós vamos queimar 30 pontos de popularidade. Queimamos, isso mesmo, queimamos“, disse o prefeito na oportunidade.

Carlos Amastha, possível candidato a reeleição afirmou também que tinha ciência da impopularidade que às medidas iriam causar a administração municipal, no entanto, frisou que eram necessárias.

A reunião que culminou com o apoio do senador Ataídes Oliveira ao Prefeito Carlos Amastha, contou com a presença de alguns vereadores e secretários da gestão municipal.

Sucessão

Seguem na disputam rumo o Paço Municipal, o ex-prefeito Raul Filho, considerado um candidato forte, Cláudia Lelis, vice-governadora que tenta pavimentar caminho para viabilizar uma possível candidatura do PV na cidade, Eli Borges, deputado estadual, que tem o apoio da grande maioria dos evangélicos da capital, Sargento Aragão, do PEN, Carlos Gaguim, ex-governador do Tocantins,  e o deputado Wanderlei Barbosa, que possui uma forte base eleitoral na cidade.

VEJA TAMBÉM
Coligação “Palmas bem cuidada” realiza convenção e homologa Amastha e Cínthia Ribeiro

Caso a oposição se una e lance apenas um candidato contra o atual Prefeito Carlos Amastha (PSB), dificilmente o atual gestor com tantas medidas impopulares e sem apresentar obras à população, conseguirá a reeleição em outubro.

No entanto, para chegar no Paço não será nada fácil. Amastha é um grande marqueteiro e poderá virar o jogo.

Como dizia meu ex-patrão, o jornalista Salomão, pois é, isso aí….

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.