Pastor Edimar Brito durante apresentação em Vitória da Conquista - Foto: Divulgação
Pastor Edimar Brito durante apresentação em Vitória da Conquista – Foto: Divulgação

Preso na noite desta terça-feira, 26, o pastor Edimar Brito negou em entrevista à imprensa que tenha assassinado a também líder religiosa Marcilene Oliveira Sampaio e a prima dela Ana Cristina Sampaio, em Vitória da Conquista ( a 509 km de Salvador), no último dia 20.

“Não tem nada que prove que eu fiz isso. Eu juro por quem for. Vou me defender e só falo na presença do meu advogado”, disse o suspeito durante apresentação no Distrito Integrado de Segurança Pública de Vitória da Conquista, na manhã desta quarta, 27.

De acordo com a polícia, Edimar foi encontrado na casa de um irmão no município de Ibicuí (a 531 km de Salvador), após sete dias de buscas.

Os dois suspeitos de executar as mortes foram presos na semana passada. Fábio de Jesus Santos, 34, e Adriano dos Santos, 36, relataram detalhes do crime e afirmaram que o mandante foi o pastor. “Edimar falou que era para dar um susto no Eduardo (marido de Marcilene) e a gente foi. Abordamos o pessoal e quando chegamos lá Edimar mudou a história e disse que não podia deixar testemunha para não complicar ele depois. Que tinha de matar a mulher”, disse Adriano.

VEJA TAMBÉM
"Ele só queria dar um susto", diz suspeito sobre pastor acusado da morte de pastora

Questionado sobre a declaração da dupla, Edimar esquivou-se das acusações novamente. “Deixar falar”, desconversou o pastor. A polícia suspeita que o crime tenha sido cometido por vingança, já que as vítimas, que eram amigas de Edimar, tinham saído da igreja dele após uma discussão para fundar um novo templo que atraiu a maioria dos fiéis de Edimar.

Os corpos de Marcilene e Ana Cristina foram encontrados em uma estrada que liga Conquista a Barra do Choça. Elas foram mortas com golpes de pedras. Além de pastora, Marcilene era professora da Universidade Estadual da Bahia (Uneb).

O marido da professora, Carlos Eduardo, que também é pastor evangélico, estava com as duas mulheres no momento da chegada dos criminosos, na noite do dia 19 de janeiro, mas ele conseguiu fugir após ser espancado. De acordo com as investigações, a intenção dos criminosos era matar toda a família no sítio em que as vítimas moravam.

Com informações A Tarde Bahia

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.