O Paquistão nunca esteve numa posição tão alta na Classificação da Perseguição Religiosa. Esse ano, ele se junta à Nigéria ao atingir a pontuação máxima no quesito violência contra os cristãos e a própria igreja. Agora o país ocupa a 6ª posição, dentro de um contexto de perseguição extrema, onde as leis do país tiram toda a liberdade de um cristão, levando-o à prisão, tortura e até morte.

Mesmo assim, há milagres acontecendo por lá, já que Deus não desampara os filhos que Ele tanto ama. Há também notícias que chegam como um verdadeiro refrigério, dando esperança aos cristãos locais. “Em uma cidade paquistanesa, um cristão que trabalhava como segurança de uma rua, viu dois homens bombas se aproximarem de uma igreja. Ele os abordou, tentando fazê-los parar, mas os homens acionaram as bombas antes mesmo de chegar à igreja e os três morreram. Na semana seguinte, a igreja que foi poupada do atentado estava lotada de pessoas“, conta um dos analistas de perseguição.

VEJA TAMBÉM
Estado Islâmico vende cabeça de cristãos em sites de leilão

Ainda que triste, pela perda do segurança, os cristãos reconheceram que foi um ato corajoso e ele morreu como um mártir, na intenção de proteger a igreja. Os ataques à bomba não impedem que os cristãos frequentem as igrejas, mesmo sabendo que correm risco de vida. Lembre-se dos cristãos paquistaneses em suas orações. Eles precisam de forças para seguir em frente. Portas Abertas

 

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.