Da Redação JM Notícia

Veio a público, definitivamente, no último final de semana de janeiro o que já se era notado nas convenções do norte do país – O sistema de limite convencional chegou ao fim!. A declaração do pastor José Cavalcante, líder da Comadesma, ao JM Notícia neste domingo, 31, durante inauguração de mais uma igreja tocantinense ligada a convenção maranhense mostra que agora as convenções estaduais podem abrir igrejas em qualquer parte do país sem nenhum tipo de conflito.

Cavalcante afirmou que o Estado do Maranhão está livre, aberto para quem quiser abrir novos trabalhos e anunciar o evangelho de Cristo. Na ocasião, o pastor ainda anunciou abertura de trabalhos no Estado do Goiás, Mato Grosso e Cuiabá.

Estamos recebendo três igrejas em Goiânia. Na terça-feira (02) estaremos em Mato Grosso dando posse a um pastor naquele estado”. Em breve estaremos abrindo trabalho em Cuiabá.

Pr. José Cavalcante, líder da Comadesma
Pr. José Cavalcante, líder da Comadesma em abertura de igrejas em Palmas

Questionado pelo JM Notícia, se a abertura de trabalhos em outros estados não provocaria problemas convencionais, pastor Cavalcante disse: De forma alguma, porque hoje não existem mais limites territoriais para trabalhos das convenções. Nós temos em nosso Estado, no Maranhão, trabalhos da Convenção de Brasília, CIADIFF, da Comadegb, do pastor Orcival, da Comiedepa, e de outras convenções, bem como estamos presente em outros estados”.

Resultados

O pastor líder da Comadesma demonstrou que os trabalhos de expansão têm obtido resultado e citou Redenção, no Pará.

Nós abrimos em Redenção há pouco mais de 1 ano. Só temos dois crentes de lá que vieram da Ciadseta –PA, e hoje nós temos mais de 200 crentes que não estavam congregando nem da Ciadseta e nem em outras igrejas, são pessoas que ouviram a pregação por meio de  pastores da Comadesma. Isso significa dizer que, se não tivéssemos ido para lá, esse povo não estaria congregando.”

De acordo com informações do pastor José Cavalcante, a Convenção está presente no Maranhão, Bahia, com 22 congregações, no Pará, com trinta e seis igrejas, no Estado do Tocantins, mais de 20 igrejas, Piaui.

Limites desobedecidos!

ivan
Pr. Ivan Bastos, tesoureiro da CGADB

O JM Notícia entrevistou alguns líderes ligados à CGADB para confirmar a afirmação do pastor José Cavalcante sobre o fim dos acordos sobre os limites convencionais e todos foram unânimes em dizer que o que há na verdade é uma falta de obediência e algumas convenções aos tratados.

O pastor Ivan Bastos, atual tesoureiro da CGADB, disse, ao JM Notícia, que algumas convenções “apenas não obedecem”, mas os limites territoriais ainda existem. Da mesma forma explicou o pastor Jediel Lima, líder assembleiano no Tocantins e Conselheiro Fiscal da CGADB: “Na verdade ainda existem (os limites), só que não são respeitados”.

carlosr
Pr. Carlos Roberto, pastor presidente da Comadespe

O pastor Carlos Roberto, presidente da Comadespe(SP), explicou que uma resolução antiga da CGADB é a responsável pela regulamentação dos trabalhos convencionais. A grosso modo, essa resolução diz que para que uma convenção perca a hegemonia do trabalho em determinada região seria necessário que esta não tenha atingisse uma cota mínima de membros. Esse índice mínimo é calculado proporcionalmente ao tamanho da população do lugar.

O JM Notícia buscou no site da CGADB a resolução citada pelo pastor Carlos Roberto, mas não encontrou. Entramos em contato com a instituição, via e-mail, mas até a publicação desta matéria não recebemos nenhuma resposta.

Histórico de um conflito

O site JM Notícia mostrou o início de um dos primeiros casos da chamada “invasão territorial” ainda no início de 2014. Na época, a Comadesma decidiu abrir igreja no Tocantins e no Pará em resposta ao ato da Ciadseta PA/MT de abrir uma igreja na cidade de Açailândia (MA).

Após isso, uma série de inaugurações de igrejas nos estado do Tocantins e Pará foi realizada pela Comadesma, conforme tinha prometido seu presidente.

Começaremos a implantar a Comadesma começando por Araguaína no Tocantins e em Redenção no Pará”, exclamou pastor José Cavalcante em entrevista ao JM Notícia no início de 2014.

Estamos enviando pessoas preparadas para a obra de Deus, não estamos enviando rebeldes”, frisou.

Na época, uma fonte disse a este portal que o ato dos Martins foi considerado ato desrespeitoso. Segundo eles, nem uma ligação receberam dos pastores da CIADSETA PA-MT sobre a implantação da CIADSETA PA/MT em Açailândia(MA).

Em resposta a decisão da Comadesma, o pastor Paulo Martins, presidente da Ciadseta-TO, disse que “em nenhum momento esta convenção deu apoio aos irmãos de Açailândia”, ou seja, ele deixou claro, na nota emitida, que a convenção tocantinense não deu apoio ao grupo que recebeu autorização da CIADSETA-PA/MT para abrir a igreja CIADSETA no Maranhão.

O presidente da Convenção tocantinense relatou que chegou até mesmo a se indispor com amigos de longa data por não concordar com a causa que lhe apresentaram

Pastor Paulo Martins destacou que ficou surpreso ao saber que a Convenção comandada por seu pai, o pastor Possidônio Martins, autorizou os irmãos do Maranhão a reabrirem a igreja CIADSETA naquele estado.

O Pr. Paulo disse que mesmo que as duas Convenções “filhas” (CIMADSETA e COMADESMA) venham a desrespeitar o acordo firmado entre as Convenções, a CIADSETA-TO continuará respeitando o acordo e não abrirá trabalho nas áreas de jurisdição das mesmas.

A Comadesma continuou avançando e no final de janeiro de 2016 chegou ao coração do Tocantins, em Palmas. Com a participação de pastores da Ciadseta, Coimadetins e da Comieadepa, a convenção maranhense recebeu a Assembleia de Deus Missões Mundial em Palmas, como integrante da Convenção Comadesma. 

A Assembleia de Deus que passa a integrar a Comadesma, é a Assembleia de Deus Missões Mundial, fundada há quatro meses, pelo pastor Manoel de Jesus, ex-pastor da Ciadseta, campo de Taquaralto.

Na oportunidade, o presidente da AD Comadesma, agradeceu a participação da mesa diretora da Comadesma, dos pastores presidentes e afirmou que Palmas, será a sua nova casa.

Expansão em todo país

Pastor José Alves Cavalcante, afirmou que a convenção irá “abraçar” todos aqueles que queiram caminhar com a convenção Comadesma:

Nós não podemos dizer não, para aqueles que estão dizendo sim para nós. Portanto, nós vamos abrir os braços e o coração a todos que querem caminhar conosco e com Jesus”, disse o pastor em referência ao pastor Manoel de Jesus, agora integrante da Convenção Comadesma.

Ao JM Notícia, o presidente da Convenção pastor José Cavalcante, afirmou que a Comadesma irá continuar o trabalho de expansão da obra de Deus, aonde a Comadesma puder estar presente, em todo o país, dando todo apoio necessário à igreja e aos obreiros.

Belenzinho no Tocantins

Com a matéria de título “Pr. José Wellington Bezerra da Costa abre igrejas no Tocantins, meta é expandir em todo Estado” o JM Notícia também mostrou, em outubro de 2015, outra aparente “invasão territorial”, por parte agora da grande AD Belenzinho. A igreja era a Assembleia de Deus Ministério do Belém, Campo de Limeira(SP), presidida pelo pastor Pastor Levy Ferreira, que já havia fundado igrejas no Tocantins nas cidades de Palmas, Araguaína e Guaraí.

VEJA TAMBÉM
Conselho de Educação da CGADB promove Encontro Geral de Educadores Teológicos

A notícia dada pelo JM Notícia repercutiu, e vários líderes evangélicos, locais e nacionais, opinaram a cerca do assunto. O renomado pastor e blogueiro Geremias do Couto, pastor na AD em Teresópolis (RJ), foi um dos que comentaram sobre o investimento da AD Belenzinho no norte do país. “Tudo isso decorre do hibridismo do nosso sistema eclesiástico, que permite a construção de grandes impérios, onde, nas pirâmides, estão pastores afortunados, enquanto na base se encontram aqueles que andam de bicicleta, mal assalariados”.

Entretanto, a abertura de igrejas no Tocantins ligadas a AD Belém e Confradesp, convenção liderada pelo pastor José Wellington Bezerra, não pegou de surpresa somente a liderança local, mas também o próprio líder assembleiano que afirmou em nota “desconhecer” o porquê de a própria convenção ter aberto igrejas no Tocantins. Na mesma nota, o pastor José Wellington deixou claro que caso o trabalho não fosse fechado o ministro responsável (Pastor Levy Ferreira) poderia ser desligado da CGADB.

Ao que parece a ameaça não vingou, pois a AD Limeira continuou seu trabalho de expansão no Tocantins. Em entrevista ao JM Notícia, o pastor presidente do Ministério no Estado, Benedito dos Santos Souza, declarou que a Igreja Assembleia de Deus Ministério de Guaraí (Campo de Limeira – SP),  vive momento de plena ascensão no Tocantins.  Há 4 anos no estado, a igreja já chegou em Palmas, Guaraí, Colméia e Araguaína, onde está sendo construído um grande templo.

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.