Da Redação JM Notícia – Antônio Guimarães

eli-borges1
Marco Feliciano e Eli Borges nesta quinta na AL TO

Aconteceu em Palmas nesta quinta-feira (18), encontro promovido pelo Movimento Conservador do Tocantins, e contou coma palestra do pastor e deputado Federal, Marco Feliciano, conhecido em todo o país por seus projetos de defesa da família no congresso Nacional. Participou também a psicóloga Marisa Lobo.

marco-feliciano
Marco Feliciano, Marisa Lobo e apóstolo Sérgio Paulo

Na ocasião, a palestra lotou o auditório da Assembleia Legislativa do Tocantins, com um público seleto entre pastores, políticos,  intelectuais e jornalistas, e um grande público evangélico.

eli-borges
Eli Borges durante palestra com Marco Feliciano e Marisa Lobo em Palmas

O deputado Eli Borges foi convidado a falar durante o evento, e fez uma explanação sobre a importância da família cristã e a defesa de seus valores. Falou de sua luta contra a destruição da família, e contra os movimentos hedonistas que propagam ideias de esfacelamento familiar e da quebra dos valores cristãos.

O parlamentar lembrou ainda, do Plano Estadual de Educação, que foi rejeitado pela Assembleia Legislativa, com o apoio maciço dos parlamentares. Eli abordou o projeto do Governo que em sua redação estabelecia a normativa 12.6: Promoção de direitos étnicos, racial, de gênero, diversidade sexual e religiosa, por meio de políticas pedagógicas e gestão específica para esse fim. O que era na realidade  segundo o deputado, a implantação do famigerado Kit Gay nas escolas do Tocantins.

VEJA TAMBÉM
Igreja Ebenézer realiza ação social aos moradores do Taquari neste domingo

“O projeto era cheio de estratégias para destruir os valores familiares do povo cristão tocantinense, tendo a premissa de que se não fosse votado poderia perder a verba constitucional”, disse Eli Borges.

Na época, Eli Borges imediatamente mobilizou as igrejas, o povo cristão e a sociedade, dentre eles, padres, líderes católicos, professores, intelectuais e pastores e criou o um movimento no Tocantins para barrar a aprovação da inclusão da ideologia no Plano Estadual de Educação. O movimento cresceu com a vocação de debelar a decadência moral e o proselitismo dos movimentos que defendem a ideologia de gênero.

Segundo Eli Borges a crise política e econômica, refletem a crise moral, pois antes da crise política há a crise moral, e que 80% da população brasileira têm valores conservadores, mas não tem representatividade, por isso criou o Movimento conservador do Estado do Tocantins, e percorreu todos os municípios, ao criar o centro de monitoramento permanente, acompanhando o seu desenvolvimento em todas as câmaras de vereadores do estado, sendo decisiva as ações do pastor e vereador João Campos na câmara de vereadores de Palmas.

VEJA TAMBÉM
Programa Escola sem Partido é aprovado na Câmara de Palmas

Na ocasião, Eli foi atacado pelos movimentos seculares que pregam a liberalidade sexual e a diversidade, e até o beijaço gay tentou intimidá-lo em seu gabinete. Eli afirmou que usou o silêncio como estratégia, de aparecer menos e agir mais, e afirmou que a sociedade e baseada no tripé sagrado: FAMÍLIA, IGREJA  E ESCOLA. O parlamentar foi elogiado pelo deputado Marco Feliciano, pela postura defensora sobre questões que envolvem a família no Tocantins.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.