Da Redação JM Notícia Antônio Guimarães

marco-feliciano-2106
Marco Feliciano em entrevista ao JM Notícia

O deputado e pastor Marco Feliciano esteve em Palmas nesta quinta-feira (18), ministrando palestra sobre os valores familiares, a ideologia de gênero, aborto, diversidade sexual, e  sobre o Plano Nacional de Direitos Humanos.

marco-feliciano 2016

Na ocasião, o deputado teceu comentário sobre a Presidenta Dilma, o qual teria ajuda a eleger, tendo em vista que, ela teria dado a palavra que jamais aprovaria o aborto no Brasil. No entanto, depois de chegar ao poder, Dilma e  o PT criaram leis para destruir as famílias e as igrejas, através do PL 122.

Projetos de Leis

O parlamentar lembrou ainda, que quando chegou à Câmara dos Deputados, detectou mais de 1.300 projetos que poderiam destruir a liberdade de imprensa, a família e  as leis que protegem a família no país.

Feliciano afirmou durante a palestra que entrou na luta contra  a ideologia de gênero e Kit Gay, quando recebeu informações da doutora Marisa Lobo, e que usou a tribuna para denunciar o Kit Gay, dai começou a grande perseguição a nível nacional em relação ao seu nome e seu trabalho.

Cura Gay

Sobre a cura Gay que foi tão propalada pelos movimentos de diversidade sexual, Feliciano afirmou que nunca pregou a cura gay, que é um mote usado pela imprensa  aparelhada para descredenciá-lo. “

VEJA TAMBÉM
Feliciano critica lista fechada proposta na Reforma Política: "tira do eleitor seu maior poder"

A teoria de gênero, que independe do corpo, segundo Marco Feliciano, diz combater a cultura machista e preconceituosa. Já na diversidade sexual o gênero é afluído, e a pessoa pode ser o que quiser independente da maneira como ela nasceu.

Feliciano disse na oportunidade, que infelizmente os nomes mais modernos de que foi chamado foi de fundamentalistas religiosos, por discordar da ideologia de gênero e outros diversos temas defendidos pelos grupos LGBT.

Segundo Feliciano, na França, aconteceu a passeata de um milhão de pessoas nas ruas, onde gritaram palavras de ordem contra o movimento gay e a grande mídia do Brasil não se pronunciou em nenhum momento.

A França que iniciou os movimentos libertários pelo mundo. Afirmou que está acontecendo uma revolução de comportamento naquele país, pois a natalidade caiu bruscamente, e os islâmicos estão invadindo o território, pois são conhecidos reprodutores de grandes famílias e sua mão de obra é barata. Que os franceses agora gritam e lutam contra o casamento gay.

Feliciano disse que foi á França, conversar com autoridades sobre o novo paradigma comportamental dos franceses e percebeu que devido aos movimentos  libertários, a família francesa se esfacelou.

VEJA TAMBÉM
Senado deve afastar Dilma nesta quarta

O deputado também afirmou que a cultura paternalista é irresponsável do governo do PT, que cria bolsões de miséria, e que a Bolsa família faz o papel de pai e mãe, e essa forma de governar é um mero paternalismo político onde o estado se torna um pseudo-deus.

Segundo ele a ideologia marxista foi barrada no Brasil pelo cristianismo que defende a santidade das famílias. Pois  foi muito atacada pelos movimentos gays, e ficou calado por algum tempo pedindo a inspiração de DEUS. E depois de se reunir com mais de 17 mil pastores num evento de  nível Nacional, ele voltou com toda a força e começou a elaborar projetos de defesa da família, e teve o apoio de Silas Malafaia e da doutora Marisa Lobo.

O parlamentar afirmou também que em pesquisa realizada com professores, 75% são contra a ideologia de gênero e que o Ministério da Educação usa os professores como massa de manobra, na divulgação da ideologia de gênero  e kit gay.

Eduardo Cunha

O deputado que é filiado ao PSC, disse ainda que, apoia o Presidente da Câmara Eduardo Cunha: “Político tem que ter lado, eu preferi estar do lado dele que defende a família com sua coragem e inteligência, do que ficar contra ele”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.