Por Camylla Costa

JUNIOR GEODurante a sessão ordinária desta quarta-feira, 24 – que contou com a presença de servidores do município de Palmas – o vereador professor Júnior Geo criticou o Carreira Justa. Para o parlamentar, ao contrário do que foi apresentado, o projeto não sinaliza a equiparação salarial necessária aos servidores municipais. “Houve inúmeras promessas de libertação e solução para os servidores. Mas nada foi feito”, enfatizou o vereador.

Além disso, Geo reforçou que os recursos disponibilizados hoje para o Carreira Justa são insuficientes para a execução efetiva do projeto. “Sabemos que antes, R$ 27 milhões estariam disponíveis. No entanto, a prefeitura reduziu para R$ 6 milhões”, destacou o parlamentar.

Conforme Geo, o direito é de todos os servidores. “Se você recebe um salário ou quatro, você não deixa de se alimentar”, disse. Geo também destacou durante a sessão que continuará defendendo a luta dos servidores na Casa de Leis.

Gastos abusivos da gestão

Ainda segundo o vereador, por volta do dia 15 de fevereiro de 2016, foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) a venda de dois lotes públicos de aproximadamente 975 m², localizados próximos à rodoviária, por R$ 17.550,00, cujo valor de mercado equivale a cerca de R$ 2 milhões.

VEJA TAMBÉM
Júnior Geo se reúne com Procon para contribuir com a fiscalização dos preços dos combustíveis em Palmas

Embora o Executivo tenha voltado atrás na decisão, para Geo, este tipo de atitude mostra que o município não administra os recursos como deve e deixa a desejar nas demandas urgentes, como a dos servidores municipais. “Se está praticamente doando lote, é porque o dinheiro está sobrando”, pontuou.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.