luciano-mogi-guaçuOs Vereadores Luciano da Saúde (PP) e Pastor Elias (PSC) usaram a tribuna da câmara na sessão que aconteceu nesta segunda-feira (22) para mais uma vez enfatizar que o MEC (Ministério da Educação e Cultura) está tentando burlar o Plano Nacional e Municipal de Ensino com o já proibido conteúdo Ideologia de Gêneros e que vai criar uma força tarefa para investigar a denúncia de que em Mogi Guaçu, livros com este conteúdo contrário ao modelo tradicional de família estão na rede municipal de ensino da cidade.

 Ambos os Vereadores vão enviar notificação à Secretaria Municipal de Educação pedindo que os livros didáticos/2016 recomendados pelo Ministério da Educação -MEC- com Ideologia de Gênero não sejam trabalhados em sala de aula com os alunos. -Eu encontrei em um livro de historia do quinto ano que vem fazendo apologia ao novos conceitos de família que foi derrubado por esta casa em votação unânime, disse Luciano.

-Foi votado aqui na cidade e é lei que a Ideologia de Gênero não deve fazer parte da educação escolar, no entanto, querer fazer das nossas escolas um útero de uma mãe, fazer a criança entender que a apologia aos novos conceitos de família é normal, contrários aos princípios bíblicos, disse Pastor Elias.

VEJA TAMBÉM
Pr. Malafaia e procurador denunciam erotização de crianças nas escolas

Vale lembrar que no Congresso, o Deputado e líder do PR Magno Malta está liderando desde o dia 17 de fevereiro uma Força Tarefa em defesa da Família para combater a ideologia de gênero que o governo manobra para aplicar na rede pública de educação.

Aqui em Mogi Guaçu, todos os vereadores são contrários a Ideologia de Gênero e seus novos conceitos sobre família moderna, homem casado com homem e criando filhos adotivos, crianças usando o mesmo banheiro nas escolas e a educação de que meninos e meninas podem optar pela orientação sexual na infância, até mesmo os incentivando a prática que só deveria fazer parte na vida adulta e por aí vai.

fONTE: http://www.mogiguacuacontece.com.br/

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.