mi_2144173220758650

Bancada cristã de diversos países se reunem em Montividéu, no Uruguai. Na mesa, debates sobre defesa da família, da vida e combate à legalização do uso de maconha

A formação de uma legislação latinoamericana com princípios e inspirações semelhantes vem se tornando uma possibilidade cada vez mais real. Um exemplo pode ser visto na formação dos representantes religiosos. Que o diga a bancada evangélica brasileira, que tem afinado seu discurso com correntes de parlamentares cristãos mais proeminentes da Argentina, Uruguai e Chile.

Hoje, um grupo de políticos do Brasil participa do Congresso Internacional Parlamento e Fé “Transformando a América”, em Montividéu, no Uruguai. No encontro de hoje, os parlamentares realizam debates sobre soluções encontradas para fazer com que a constituição tradicional da família seja valorizada na sociedade e os mecanismos que possibilitam reduzir a corrupção sistêmica nos países.

Os deputados colocam na mesa vários temas: como eliminar a pobreza, impedimento da legalização do uso da maconha, estratégias para defesa do meio ambiente e a erradicação da desigualdade social.

VEJA TAMBÉM
Número de políticos ligados a igrejas deve crescer em 2018

Um dos participantes do encontro, o deputado João Campos (PSDB), afirma que os representantes populares têm articulado agendas comuns para discutirem nos seus respectivos parlamentos. “Estes congressos têm o poder de formar coalizões que possibilitam a atuação em conjunto dos grupos políticos de diferentes partes da América Latina”.

De acordo com João Campos – também convidado a participar de sessão legislativa da Câmara dos Representantes do Uruguai -, os legisladores de todo continente se encontram tendo como meta discutir estratégias legislativas para defender uma visão cristã do parlamento. “É uma coalizão internacional, que já realizou inclusive uma conferência global, em Buenos Aires no ano passado”.

EXPERIÊNCIAS

O parlamentar informa também que existe uma declaração do Congresso Internacional Parlamento e Fé, com os princípios da coalizão, e que o movimento tem como obrigação produzir espaços onde os parlamentares possam trocar experiências. “É um encontro que deseja somar forças. Também tem como meta trocar dados, informações, projetos de lei, normas e discutir  diferenças”, explica.

VEJA TAMBÉM
Deputados derrubam lei que pune homofobia no Distrito Federal

Se unem ao deputado goiano no encontro de Montividéu o senador Magno Malta (PR-ES) e o deputado federal Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ). O deputado e doutor em direito Gerardo Amarilla (Uruguai) e o senador Arboldo Wiens (Paraguai) são outros parlamentares que participam do encontro.

Via Diário da Manhã

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.