sostenes-cavalcante
(Reprodução) Deputado Sóstenes Cavalcante: “A justiça de Deus não deixará político impune”.

Embora esteja filiado ao PSD, partido da base aliada do governo petista, o deputado federal Sóstenes Cavalcante (RJ), tem mantido uma postura crítica. Um dos mais atuantes na Câmara, ele é membro da bancada evangélica.

Pastor de formação, trabalhou muito tempo no ministério de Silas Malafaia, ao lado de quem participou das manifestações no domingo (13).

Ao subir à tribuna para discursar nesta terça (15), Sóstenes fez um balanço da situação política do país. Sua fala refletiu o sentimento comum dos cidadãos de bem em relação às constantes denúncias que mostram como o país vem sendo saqueado de maneira contínua nos 4 governos petistas.

Confessou que por vezes teve vergonha de ser deputado e lamentou a visão de muitos que todos os políticos são corruptos. Estima que o Congresso, “tem no mínimo 40% de homens e mulheres sérios”. Sóstenes reafirmou sua independência, e que não atenderá aos pedidos do governo atual, que classificou de “quadrilha”.

VEJA TAMBÉM
Senador Vicentinho Alves votará em defesa dos municípios na análise do Veto 30/2017

“Eu sei que a justiça da terra há de julgar esses bandidos. Mas a justiça de Deus não deixará nenhum deles impune!”, alertou. Ao dizer isso, lembrou: “Inclusive a mim, se cometer algum ilícito no meu mandato”.

Em um recado dado publicamente à Dilma, asseverou: “Presidente, vossa excelência não foi eleita para governar só para os vermelhinhos”. Indagou do motivo de ela ter ignorado as manifestações que mobilizaram milhões de pessoas que pediam o impeachment.

Lembrou que “o povo foi cobrar a classe política: basta de se meter em corrupção”. Aplaudido por muitos dos deputados presentes à sessão, subiu o tom ao falar sobre o vazamento do áudio que mostram o ministro da Educação Aloísio Mercadante tentando comprar o silêncio dos delatores e atrapalhar as investigações da Polícia Federal.

“Ele está educando o quê?… Para como burlar a justiça?”, disparou. Em seguida, lembrou que as mesmas delações envolvem ministros do Supremo Tribunal Federal. “STF… se vossas excelências não se distanciarem e terem total isenção para julgar com a régua da justiça esses quadrilheiros… Cuidado STF, vocês podem ir para a mesma vala”, enfatizou.

VEJA TAMBÉM
Pastor Silas Malafaia é defendido na Câmara Federal: 'Perseguição Religiosa'

Ao finalizar o seu balanço do atual governo, em tom profético avisou que a manobra para nomear Lula para ministro só iria “facilitar a logística da Polícia Federal”. Assim, “O camburão vai passar e levar todo mundo. Para limpar o Brasil desta corja”, arrematou.

Informações Gospel Prime

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.