sergio moro
(Divulgação) Pastores divulgam nota em defesa de Sérgio Moro.

Órgãos representativos de ramos do protestantismo no Brasil, a Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil (Concepab) e o Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política (Fenasp) emitiram nota nesta sexta (25), manifestando-se sobre a corrupção no Brasil.

Iniciam lembrando que defendem o Estado Democrático de Direito e chamando a igreja para orar pelas autoridades do país. De maneira clara, apoiam a Operação Lava Jato e o Juiz Sérgio Moro.

Pedem que os culpados, “independentemente de suas funções sociais e políticas, sejam submetidos ao devido processo legal”.  Classificam de “afronta” a nomeação do ex-presidente Lula como Ministro. Finalizam, lembrando a grande mobilização popular nos protestos recentes e finalizam pedindo um “basta”.

Atualmente, a CONCEPAB é presidida pelo bispo Robson Rodovalho, líder da denominação Sara Nossa Terra, em cujo site a nota foi divulgada. Ele conhece bem os meandros do Congresso, pois foi deputado federal, pelo DEM. Entre seus projetos destaca a proibição do uso de documentos psicografados como prova judicial. Também defendeu o projeto que a música gospel beneficie-se da Lei Rouanet.

VEJA TAMBÉM
Tragédia: Família evangélica morre em acidente no AC; acidente teve mais 2 vítimas

A manifestação desse grupo de pastores vem a público poucos dias depois do famigerado “Manifesto de Evangélicos pelo Estado de Direito” assinado por pastores de ideologia esquerdista como Ariovaldo Ramos, Ed René Kivitz, Carlos Queiroz e Ricardo Bitun.

O contraste entre os dois documentos mais uma vez mostra que os evangélicos do Brasil apenas refletem a sociedade. Não há “posição fechada” sobre os assuntos, e tampouco um líder ou órgão que possa falar em nome de todos.

Em meio a crise econômica e moral, parte dos crentes está envolvido ativamente na questão política, seja a favor ou contra o governo. Um outro percentual prefere não se posicionar e faz campanhas de oração e jejum pela nação.

Íntegra da Posição da CONCEPAB sobre a crise política

A Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil (Concepab) e o Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política (Fenasp) vêm a público, neste momento crítico que o país atravessa, posicionar-se em defesa do Estado de Democrático de Direito.

Acreditamos, acima de tudo, que a igreja do Senhor deve recorrer à oração, obedecendo aos princípios bíblicos de orar por aqueles que estão investidos de autoridade para que sejam sóbrios, sábios e justos. Reafirmamos nossa confiança nas instituições brasileiras, que estão amadurecidas e assumem seus papéis frente à situação atual, com firmeza e justiça.

Defendemos a continuidade da Operação Lava Jato sob a jurisdição do Excelentíssimo Juiz Federal Sérgio Moro; as 10 Medidas propostas pelo Ministério Público para reforçar o combate à corrupção no país; e que os culpados, independentemente de suas funções sociais e políticas, sejam submetidos ao devido processo legal. Entendemos a nomeação do ex-presidente Lula como Ministro de Estado como uma afronta às instituições, na medida em que ele está sob investigação.

Nós da Fenasp e Concepab esperamos que os políticos coloquem o povo e a pátria acima de seus próprios interesses, sejam altruístas e se lembrem de que representam esse povo que se mobilizou em grandes protestos, pacíficos e ordeiros, pedindo nas ruas do país por um “basta”.

Informações Gospel Prime

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.