Sindicalistas_Reunião
(Divulgação) Sindicalistas em reunião em que decidiu ir à Justiça pelo retroativo da data-base de 2015.

Com o respaldo e pedido de 19 entidades sindicais, a Fesserto (Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos Estadual e Municipal do Estado do Tocantins) vai, na próxima semana, ingressar na Justiça cobrando que o governo do Estado pague, imediatamente, o retroativo da data-base de 2015, referente ao período entre maio e outubro do ano passado. Por lei, o pagamento deveria ter se iniciado na folha de janeiro, em 12 parcelas consecutivas e iguais, o que não ocorreu. A decisão de ingressar com ação foi acordada em reunião dos sindicatos com a Fasserto nesta quinta-feira, 31 de março.

A necessidade de pagar o complemento da recomposição de 2015 agora ocorre por que, no ano passado, com dificuldades financeiras, o governo parcelou a data-base de 8,17% dos servidores estaduais em duas parcelas. A primeira, de 4,17%, foi incorporada em maio e a segunda, de 4%, foi aplicada em outubro.

A questão envolve mais de 36 mil servidores concursados ativos e inativos. “Por decisão unânime de todos os colegas, nós vamos para Justiça. O atraso já chega há três meses e não tivemos alternativa”, explicou Carlos Augusto melo de Oliveira, presidente da Fesserto.

VEJA TAMBÉM
Governo do TO nomeia mais 86 aprovados no Concurso da Polícia Civil
DSC09651 (1)
(Divulgação) Representantes dos servidores em direção ao palácio Araguaia para cobrar atrasados do governador.

Administrativo

Além da esfera judicial, a Fesserto e os sindicatos estão trabalhando no campo administrativo. Também neste dia 31 de março, as entidades sindicais entregaram ofício ao governador Marcelo Miranda e ao secretário estadual da Administração, Geferson Barros, cobrando o pagamento imediatamente.

2016

Outra preocupação dos representantes dos servidores é data-base de 2016, que começa a ser paga na folha de maio. No mesmo ofício no qual cobram os retroativos de 2016, os presidentes dos sindicatos e associações pedem a abertura com urgência de negociação para a data-base deste ano.

Por lei, o índice da data-base tem que, pelo menos, recompor as perdas causadas pela inflação nos últimos 12 meses.

As entidades que assinaram o ofício e concordaram em ingressar na Justiça pela data-base de 2015 são as seguintes:

Fesserto

Associação dos Militares da Reserva, Reformados, da Ativa e seus Pensionistas do Estado do Tocantins- ASMIR

Associação dos Sargentos e Subtenentes da Policia e Bombeiros Militares do Tocantins- ASSPMETO

VEJA TAMBÉM
Wanderlei Barbosa lamenta demolição de prédio histórico em Taquaruçu

Associação dos Praças Militares do Estado do Tocantins – APRA-TO

Sindicato dos Servidores do Ministério Publico do Estado do Tocantins- SINDSEMP

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Tocantins- SINDJOR

Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Tocantins- SINPOL

Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins- SINTET

Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Tocantins-SINSJUSTO

Sindicato dos Profissionais da Enfermagem no Estado do Tocantins- SEET

Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Tocantins- SINDIFATO

Sindicato dos Profissionais de Análise, Inspeção e Fiscalização Ambiental do Tocantins- SINDIFAM

Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Estado do Tocantins- SINFITO-TO

Associação dos Funcionários da Agencia da Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins- AFA-TO

Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins- SINDIFISCAL

Sindicato dos Profissionais de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins- SINDAGRO

Sindicato dos Profissionais da Pedagogia do Estado do Tocantins-SINPETO

Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Assistência Técnica e Extensão Rural- SINDATER-TO

Associação dos Oficiais Militares do Estado do Tocantins- AOMETO

Associação de Bombeiros Militares- ABM-TO

Ascom

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.