Ato da Câmara Municipal de Barrolândia,  que velou corpo do assaltante Lucas Lustosa Maciel, suspeito de matar, na última sexta-feira (1°), o Policial Militar Ivan Borges de Lima, durante tentativa de assalto na região sul de Palmas, gerou polêmica e indignação nas redes sociais.

O Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Tocantins (Sinpol- TO) e o Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado do Tocantins ( SINPRF-TO) enviaram nota de repúdio pelo ato da Câmara de Vereadores. Segundo a nota da SINPRF, a medida da Casa de Leis de Barrolândia foi uma “afronta, um ‘tapa na cara’ da classe policial, dos familiares do policial enlutado e de toda sociedade, caracterizando uma completa inversão de valores, uma vez que a cessão de tal espaço deveria representar uma homenagem e o reconhecimento a alguém que, em vida, houvesse prestados relevantes serviços à sociedade. É lamentável”, destacou a nota.

Para o Sinpol-TO o ato é “um desrespeito à sociedade, aos familiares do policial e a todas as categorias de policiais do Estado, que vem cumprindo com seus deveres, mesmo com falta de estrutura, de armamento, de veículos, entre outros aparelhos que possibilitam o exercício policial”.

VEJA TAMBÉM
PRF realiza operação Semana Santa

Confiras as Notas na íntegra:

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Policias Civis do Estado do Tocantins (Sinpol-TO) vem a público repudiar o ato da Câmara de Vereadores do município de Barrolândia-TO, que abriu as portas para velar o assaltante Lucas Lustosa Maciel, suspeito de matar, na última sexta, 1º, o policial militar Ivan Borges de Lima, durante tentativa de assalto, na região sul de Palmas.

Para o Sinpol-TO, o ato é um desrespeito à sociedade, aos familiares do policial e a todas as categorias de policiais do Estado, que vem cumprindo com seus deveres, mesmo com falta de estrutura, de armamento, de veículos, entre outros aparelhos que possibilitam o exercício policial.

Este sindicato ressalta ainda que a Câmara de Vereadores é a “casa do povo”, local onde trabalham os representantes da população, eleitos democraticamente e que têm como papel de fiscalizar o trabalho do prefeito e a elaboração das leis. O uso do local para velar um suspeito de homicídio, que cumpria pena por tráfico em regime semiaberto, fere o princípio da moralidade e os princípios éticos da sociedade.

VEJA TAMBÉM
Taquaruçu é novamente a capital por um dia e recebe ex-prefeitos

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais (SinPRF-TO), vem a público fazer coro à nota da Federação dos Praças Militares do Estado do Tocantins (FASPRA-TO), e repudiar de forma veemente o ato da Câmara Municipal de Barrolândia-TO, que cedeu o espaço legislativo para velar o suposto assassino do Policial Militar Ivan Borges de Lima, ocorrido nesta sexta-feira, (01/04), na cidade de Palmas/TO.

A medida da Casa de Leis de Barrolândia foi uma afronta, um “tapa na cara”da classe policial, dos familiares do policial enlutado e de toda a sociedade, caracterizando uma completa inversão de valores, uma vez que a cessão de tal espaço deveria representar uma homenagem eoreconhecimento, a alguém, que em vida houvesse prestados relevantes serviços à sociedade. É lamentável.

O SinPRF/TO, na condição de legítimo representante dos Policiais Rodoviários Federais no estado do Tocantins, acrescenta que práticas como essas são inaceitáveis em nosso meio, principalmente quando parte de umaentidade que representa um dos poderes do município e que tem o dever deatuar dentro dos princípios legais, éticos e morais.

Marco Antonio Pampolha Gomes da Silva

Presidente do SinPRF-TO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.