palestra2
Deputado Eli Borges em Imperatriz -MA

Da Redação JM Notícia

O deputado estadual do Tocantins Eli Borges (Pros), foi convidado pela Associação  de Pastores de Imperatriz –MA para ministrar palestra sobre a ideologia de gênero em Imperatriz –MA, nesta segunda-feira (04). A palestra ocorreu no Hotel New Anápolis, e reuniu pastores, estudantes, juízes, defensores públicos, servidores públicos, vereadores, professores universitários, jornalistas  e políticos para acompanhar o assunto que é tema na cidade nos últimos dias.

Na ocasião, o deputado Eli Borges afirmou que o projeto da ideologia de gênero e erotização infantil é grave no país. O parlamentar encabeçou na Assembleia Legislativa o movimento contra a ideologia de gênero no Plano Estadual de Educação no Tocantins e nos 139 municípios do Estado, obtendo êxito em praticamente 100% dos municípios.  Na Assembleia Legislativa, os termos que tratam sobre a ideologia de gênero foi retirado por consenso entre os parlamentares. Segundo o deputado, “a intimidade deve ser vivida dentro da sua própria intimidade. A escola é para a criança aprender Português, Biologia, Matemática”, disse o parlamentar.

Do Tocantins, participaram do evento o Advogado Dr. Ademir Teodoro, o professor do Instituo Federal do Tocantins, Domenico Sturiale que também fez uma explanação sobre como iniciou os estudos sobre a ideologia de gênero, o vereador de Araguaína Terciliano Gomes e o assessor parlamentar  Hermes Antônio.

VEJA TAMBÉM
Inicia hoje a 27ª AGO da Convenção Comadesma  em Imperatriz –MA

Entenda:

Em Imperatriz, a Câmara Municipal aprovou o projeto de lei 03/2016, que trata sobre a polêmica ideologia de gênero. A Câmara aprovou a inclusão da ideologia de gênero, e agora, por pressão da sociedade e de diversos segmentos, a mesma deve suprimir do Plano Municipal de Educação os seguintes termos:

Para as relações de gênero, identidade de gênero e diversidade sexual, LGBTT, não sexista, não homofóbica; não lesbofóbica; não transfóbica e não heterofóbica. A votação deve acontecer nos próximos dias.

Segundo o presidente da Associação de Pastores de Imperatriz, Paulo César, a igreja evangélica é totalmente contra a ideologia de gênero. “Entendemos que é prejudicial à família, pois é competência da família educar os filhos e não a escola. Essa é a nossa bandeira. Vamos debater o assunto, mas, acreditamos que a sensatez dos vereadores vai prevalecer”.

Eli Borges é convidado a dar orientação a vereadores de Imperatriz -MA
Eli Borges é convidado a dar orientação a vereadores de Imperatriz -MA

Segundo o pastor, são 200 igrejas evangélicas em Imperatriz, sendo que 38% da população local é evangélica, e esse público compreende que “o homossexual tem seus direitos de educar seus filhos, assim como o hétero tem. Cada um educa do seu jeito, mas, a escola não pode assumir esse papel dos pais”.

VEJA TAMBÉM
Luta pela BR-010 ganha nova dimensão após audiência pública

No entanto,  a juíza Ana Paula afirmou que a questão de gênero não é um problema isolado e sem reflexos concretos, mas, afeta toda a sociedade, por isso, a discussão no ambiente escolar é tão importante.

Eli Borges se reúne com vereadores

Na segunda-feira (04), em Imperatriz, o deputado participou de reunião com os vereadores da cidade sobre a votação do Plano Municipal de Educação que tende a suprimir o texto que aborda a questão da ideologia de gênero.

Na ocasião, Eli Borges fez uma explanação como foi feito o trabalho no Tocantins, que culminou com a retirada total de qualquer assunto que trata sobre o tema.

O presidente da Câmara José Carlos afirmou que a orientação do deputado Eli Borges irá contribuir com a votação do Plano Municipal de Educação nos próximos dias. “O Tocantins é referência aqui para nós, já que eles já votaram e aprovaram os planos sem de ideologia de gênero.

Participaram os vereadores Richard Wagner Silva, Carlos Hermes, José Carlos, Presidente da Câmara Municipal, vereador João Silva, Edneusa Caetana Frazão,  vereador de Araguaína, Terciliano Gomes.

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.