Senador-ataides-oliveira-0704
(Foto Agência Senado) “Os verdadeiros prejudicados são os milhares de tocantinenses que estão indevidamente recolhendo imposto inconstitucional”.

Autor de ações judiciais que buscam a derrubada do pacotaço de impostos cobrado pelo governo do Estado desde janeiro deste ano, o PSDB do Tocantins esclarece que o fim da cobrança não prejudicará a arrecadação dos municípios. “O PSDB questiona, em uma das ações, o aumento de 2% sobre o ICMS destinado ao chamado FECOEP, que é o fundo de combate à pobreza. O valor arrecadado para esse fundo não é rateado entre os municípios, conforme prevê a Constituição”, afirmou o senador Ataídes Oliveira, presidente do PSDB no Tocantins.

O PSDB tocantinense move duas ADIs (ações diretas de inconstitucionalidade) que pretendem derrubar os aumentos de ICMS e taxas em vigor desde janeiro. As ações estão sendo julgadas desde dezembro no Tribunal de Justiça do Tocantins. Nessa quinta-feira, 6, está prevista na pauta do Pleno do TJ o julgamento do tema. O “placar” do julgamento é favorável à derrubada do aumento. Na ação que pede fim do aumento de taxas do Detran e de outros órgãos está 5 votos favoráveis contra 2 contrários ao fim do aumento. Já a ação sobre o ICMS tem cinco votos de desembargadores favoráveis à anulação do aumento e apenas um pela continuidade da cobrança.

VEJA TAMBÉM
Mais de 600 pessoas participaram do Encontro da Juventude do PR no auditório da ATM

Ataídes afirmou que solicitou aos advogados que assinaram a ação a nota técnica para, primeiramente, tranquilizar os prefeitos do Tocantins sobre essa questão. O presidente da ATM (Associação Tocantinense dos Municípios), João Emídio de Miranda, chegou a se manifestar na imprensa preocupado com o reflexo da derrubada do pacotaço na Justiça.

“O prefeito João Emídio e os demais chefes de Executivos municipais podem ficar tranquilos que as ações do PSDB não têm como objetivo prejudicar os prefeitos e as prefeituras. Nosso objetivo é proteger o cidadão de mais esse aumento que é ilegal, inconstitucional e injusto, desumano para com o cidadão tocantinense”, afirmou Ataídes.

O congressista complementou: “Os aumentos questionados na Justiça são ilegais. Tenho certeza que muitos dos prefeitos associados à ATM não se sentiriam bem em receber repasses de impostos ilegais, não se sentiriam bem em prejudicar o cidadão da sua cidade”.

ARRECADAÇÃO

Conforme dados obtidos no Portal da Transparência do governo do Estado, a arrecadação de ICMS-FECOEP nos dois primeiros meses deste ano foi de R$ 3.327.660,27. “Não há, portanto, qualquer prejuízo para os municípios, pois o ICMS FECOEP não é repassado para as prefeituras. Repito: os verdadeiros prejudicados são os milhares de tocantinenses que estão indevidamente recolhendo imposto inconstitucional”, afirmou o senador.

VEJA TAMBÉM
Vereador Filipe Martins propõe benefícios para Lago Norte e 1.204 Sul

Já em relação a arrecadação das taxas, outro alvo de ação judicial do PSDB, conforme o senador, ficam exclusivamente nos cofres do Estado e também não são compartilhadas com os municípios. “É uma determinação da Lei de Responsabilidade Fiscal e pela própria essência das taxas que visam recuperar as despesas para a prestação do serviço”, declarou.

Ascom

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.