russell-moorePornografia é ocultismo e não só imoralidade, diz pastor. Foto:Reprodução

O presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul, Russell Moore, comparou a pornografia com o ocultismo em um artigo postado em seu site no começo deste mês.

No texto intitulado “Why Porn Kills Sex” (Porque a pornografia mata o sexo) ele afirma que o ato é mais do que imoralidade, é algo provocado por espíritos.

Na visão do pastor, a pornografia interrompe a ligação que Deus criou para unir um homem com sua mulher. “Devemos perguntar por que Jesus nos advertiu que a luxúria é errada. Isto não é porque Deus tem vergonha do sexo. Deus criou a sexualidade humana não para isolar, mas para conectar”, escreveu Moore.

A pessoa adepta da pornografia acaba interrompendo essa ligação que seria exclusiva entre o casal. “A pornografia interrompe este respeito, transformando o que é destinado à intimidade e amor encarnado na solidão da masturbação. A pornografia oferece a emoção psíquica e liberação biológica destinada a comunhão no contexto da liberdade de conexão com o outro. Ela não pode cumprir essa promessa”, explica.

VEJA TAMBÉM
Trump diz que não vai permitir que transgêneros prestem serviço militar

Moore lembra que a pornografia traz vergonha para o casamento e mata a sexualidade do casal. “A pornografia mata a sexualidade porque a pornografia não é apenas sobre sexo e porque até mesmo o sexo não é apenas sobre sexo”.

Citando a Palavra de Deus, o pastor revela que a pornografia pode ser também considerada ocultismo. “Na antiga cidade de Corinto, o aviso foi dado sobre prostitutas nos templos pagãos da cidade. As prostitutas foram pagas para a atividade sexual, desligada da aliança. Eles faziam parte de um sistema de culto que atribuía poderes quase místicos ao orgasmo. Como é que qualquer um pode ser diferente da indústria de pornografia de hoje?”

As bases utilizadas por ele são 1 Cor. 6: 15-19 que fazem com que ele afirme que a imoralidade sexual é a profanação do templo do Espírito Santo. ” O cristão professo, não importa quão insignificante ele ou ela pode se sentir, é um alvo de interesse. A imoralidade sexual parece apresentar-se aleatoriamente quando, na verdade, é parte de uma expedição de caça cuidadosamente orquestrada (Prov. 7: 32-33)”, ensina.

VEJA TAMBÉM
Garota de 19 anos diz estar grávida e o bebê é Jesus Cristo

Os pastores americanos estão debatendo o tema pornografia, tanto é que no dia 7 de abril um evento foi marcado na Carolina do Norte para discutir o impacto social, psicológico, neurológico e espiritual da pornografia.

E para quem achava que esse problema não estava nas igrejas, o estudo do Grupo Barna recentemente mostrou que 21% dos pastores de jovens e 14/5 dos pastores americanos lutam contra o vício de conteúdo pornográfico. Ainda segundo essa pesquisa, 67% dos homens e 49% das mulheres jovens consideram aceitável ver pornografia. Com informações Christian Post / Gospel Prime

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.