hospital-araguaína
Pacientes denunciam falta de material em hospital público de Araguaína

A situação em um dos maiores hospitais públicos do Tocantins não está boa. Pelo menos é o que relatam os usuários do Hospital Regional de Araguaína (HRA), região Norte do estado. À imprensa, várias famílias denunciaram a falta de materiais médicos, motivo ao qual as cirurgias estão deixando de serem feitas.

Ao site G1, a estudante Tayllana Marinho de Castro informou que carrega os prontuários da irmã, que está internada há quase dois meses. Ela explica que a cirurgia neurológica da irmã já foi desmarcada mais de 10 vezes. “O que adianta o paciente estar internado, se não tem medicação, esparadrapo para fazer curativo, não tem lençol, não tem o gel para limpar?”, questiona.

Quem também reclamou da demora no atendimento foi a dona de casa Maria Oliveira da Silva, que está há dois meses à espera de uma cirurgia. “[A cirurgia] é mudando de semana em semana. Minha mãe tem 68 anos e está emagrecendo, enfraquecendo e chorando direto. Não sei mais o que fazer. Vou na direção [do hospital] e nada é resolvido.”
Já a lavradora Helenita Lopes Queiroz está há quatro meses no hospital. Ela conta que acompanha um filho acidentado. Para que consiga voltar para casa, ele precisa de uma cirurgia na coluna, que ainda não foi realizada justamente por falta de material. “Porque não tem material para fazer a plástica. É preciso esperar sarar para poder fazer a cirurgia da coluna, para não ficar paraplégico.”

VEJA TAMBÉM
Técnicos da Seagro e Ruraltins definem organização das caravanas que participarão da Agrotins

Outras reclamações

Os usuários reclamaram também à imprensa sobre a falta à falta de medicamentos. Sem alternativa, eles têm que pegar a receita com o médico e comprar por conta própria a medicação. O hospital não tem sequer lençóis para oferecer aos pacientes.

A Secretaria de Estado de Saúde foi procurada, mas até o momento não deu uma resposta sobre as reclamações dos usuários.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.