A Igreja Universal do Reino de Deus lançou no último domingo (8) a sua versão da Netflix. Batizada de Univer, a plataforma de vídeos online cobra a partir de R$ 14 por mês pelo acesso às transmissões ao vivo dos cultos do Templo de Salomão e por “filmes e séries cristãs, palestras sobre como obter sucesso financeiro, fé inteligente e uma infinidade de conteúdo sobre vida a dois”, como anuncia vídeo publicado no blog de Edir Macedo. O serviço, no entanto, não oferece a seus assinantes minisséries e novelas bíblicas da Record, como Os Dez Mandamentos, já licenciadas para a Netflix.

Disponível em computadores, tablets e celulares, a operação over-the-top (como o mercado esse tipo de serviço) da Universal imita a linguagem gráfica da Netflix. A página de acesso é muito parecida só não há acesso grátis de 30 dias. O Univer não revela quanto conteúdo oferece, mas se vende como “a maior e mais nova plataforma de vídeos cristãos” e apela a conteúdos exclusivos como a cerimônia de inauguração do Templo de Salomão, em 2014. A Netflix cobra a partir de R$ 19,90 por mês por cerca de 25 mil títulos.

VEJA TAMBÉM
Universal fará campanha para levar 22 milhões de pessoas para assistirem ao filme sobre Edir Macedo

Na verdade, muito pouco do conteúdo disponível no Univer é inédito ou exclusivo. Um de seus carros-chefes são os programas The Love School, de Cristiane e Renato Cardoso, exibidos pela Record aos sábados. Para as crianças, os desenhos bíblicos ofertados são os mesmos que saíram de cartaz na Record no ano passado.

Todo o conteúdo do Univer tem a chancela da Universal. Os filmes são os de interesseda igreja, como Martinho Lutero, sobre o líder da Reforma Protestante. A música é gospel.

Com o lançamento do Univer, a Igreja Universal se antecipa ao concorrente Silas Malafaia, que já está vendendo assinatura do Gospel Play _”o melhor do conteúdo gospel para toda sua família em um só lugar”.

O vídeo abaixo no site da instituição mostra mais sobre a Univer:

Fonte: Com informações do Notícias da TV

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.