Do G1 PE

Nascido no Recife, Mendoncinha, como é conhecido, viveu boa parte da juventude em Belo Jardim, terra de sua família. Cresceu no meio político. O pai dele, José Mendonça Bezerra, já falecido, foi deputado federal por mais de 20 anos, em partidos como PDS e PFL.

Uma das referências nacionais do DEM hoje, o político tem como principais capítulos no currículo as passagens como governador de Pernambuco (2005 e 2006), quando substituiu Jarbas Vasconcelos (PMDB), que saiu para concorrer ao Senado, e como vice-governador por 7 anos na mesma chapa (1999 a 2005).

Ficou conhecido também por ser o autor da PEC (proposta de emenda constitucional) que instituiu a reeleição para cargos do Executivo, inclusive presidente da República, a partir de 1998, o que permitiu que Fernando Henrique Cardoso e depois Lula e Dilma tivessem um segundo mandato consecutivo.

Para quem não se recorda, Mendonça Filho foi o principal defensor da proposta de emenda constitucional que permitiu que as universidades públicas cobrem mensalidade para cursos de extensão, pós-graduação lato sensu e mestrados profissionais. Ou seja, mudou a Constituição de 88 para acabar com a exigência da gratuidade no ensino superior público.

VEJA TAMBÉM
Malafaia pede a Temer 'cuidado' na escolha do ministro da Educação

Mendonça Filho é formado em administração de empresas pela Universidade de Pernambuco. Fez também um curso de Gestão Pública pela Kennedy School, da Universidade de Harvard (EUA).

Herdeiro de agroindústrias, comandou a Associação Avícola de Pernambuco (1987-1989).

Família
Aos 49 anos, casado com Taciana Villaça, filha do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Marcos Vinicius Villaça, tem três filhos: José, Ilana e Vinícius.

Tem quatro irmãos, e não é o único político entre eles. Uma das irmãs é a ex-secretária de Turismo, Cultura e Paisagismo de Belo Jardim (PE) Andrea Mendonça (DEM-PE). É ainda cunhado do deputado federal Augusto Coutinho (SD-PE) e primo do prefeito de Belo Jardim, João Mendonça (PSD). Além disso, um dos tios, Édson Moura, fundou a Baterias Automotivas Moura, uma das grandes empresas do estado.

Entrou para a política pouco depois de completar 20 anos. Foi eleito deputado estadual, em 1986 – o mais novo do Brasil na época. Exerceu dois mandatos seguidos na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Durante o segundo governo de Miguel Arraes (1987-1990), Mendonça Filho foi líder da oposição na Alepe. Participou também da elaboração da Constituição estadual.

VEJA TAMBÉM
Sites evangélicos poderão receber verba publicitária do governo, diz presidente Temer

Atuou como secretário de estado de Agricultura (no governo de Joaquim Francisco – PFL) e chegou à  Câmara dos Deputados, em Brasília, pela primeira vez, em 1995.

Em Brasília, destacou-se como presidente da Comissão Especial de Reforma Política e Eleitoral.

Como vice-governador, teve destaque na coordenação e atração de investimentos e na ampliação e consolidação do Porto de Suape. Foi secretário-executivo do Pacto 21, um conselho formado por empresários, intelectuais e universidades para discutir projetos estruturadores para impulsionar o desenvolvimento econômico e social de Pernambuco. Coordenou o processo de privatização da Companhia de Eletricidade de Pernambuco (Celpe).

Derrotas
Candidatou-se a prefeito do Recife na eleição municipal de 2008, ficando em segundo lugar. Voltou a ser candidato na eleição municipal de 2012, ficando em quarto.

Quando era vice-governador, tentou ocupar o cargo de titular do Palácio do Campo das Princesas, disputando a reeleição em 2006. Terminou o primeiro turno com 1,5 milhão de votos, quase 40% do total. No segundo turno, no entanto, perdeu para Eduardo Campos (PSB), que juntou as forças com Humberto Costa (PT), o terceiro colocado no primeiro turno.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.