Do G1 PE

Nascido no Recife, Mendoncinha, como é conhecido, viveu boa parte da juventude em Belo Jardim, terra de sua família. Cresceu no meio político. O pai dele, José Mendonça Bezerra, já falecido, foi deputado federal por mais de 20 anos, em partidos como PDS e PFL.

Uma das referências nacionais do DEM hoje, o político tem como principais capítulos no currículo as passagens como governador de Pernambuco (2005 e 2006), quando substituiu Jarbas Vasconcelos (PMDB), que saiu para concorrer ao Senado, e como vice-governador por 7 anos na mesma chapa (1999 a 2005).

Ficou conhecido também por ser o autor da PEC (proposta de emenda constitucional) que instituiu a reeleição para cargos do Executivo, inclusive presidente da República, a partir de 1998, o que permitiu que Fernando Henrique Cardoso e depois Lula e Dilma tivessem um segundo mandato consecutivo.

Para quem não se recorda, Mendonça Filho foi o principal defensor da proposta de emenda constitucional que permitiu que as universidades públicas cobrem mensalidade para cursos de extensão, pós-graduação lato sensu e mestrados profissionais. Ou seja, mudou a Constituição de 88 para acabar com a exigência da gratuidade no ensino superior público.

VEJA TAMBÉM
Wanderlei Barbosa é eleito membro do Conselho Fiscal do Parlamento Amazônico

Mendonça Filho é formado em administração de empresas pela Universidade de Pernambuco. Fez também um curso de Gestão Pública pela Kennedy School, da Universidade de Harvard (EUA).

Herdeiro de agroindústrias, comandou a Associação Avícola de Pernambuco (1987-1989).

Família
Aos 49 anos, casado com Taciana Villaça, filha do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Marcos Vinicius Villaça, tem três filhos: José, Ilana e Vinícius.

Tem quatro irmãos, e não é o único político entre eles. Uma das irmãs é a ex-secretária de Turismo, Cultura e Paisagismo de Belo Jardim (PE) Andrea Mendonça (DEM-PE). É ainda cunhado do deputado federal Augusto Coutinho (SD-PE) e primo do prefeito de Belo Jardim, João Mendonça (PSD). Além disso, um dos tios, Édson Moura, fundou a Baterias Automotivas Moura, uma das grandes empresas do estado.

Entrou para a política pouco depois de completar 20 anos. Foi eleito deputado estadual, em 1986 – o mais novo do Brasil na época. Exerceu dois mandatos seguidos na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Durante o segundo governo de Miguel Arraes (1987-1990), Mendonça Filho foi líder da oposição na Alepe. Participou também da elaboração da Constituição estadual.

VEJA TAMBÉM
Marcos Pereira ora quebrando “macumbaria, bruxaria e todo o mal” de Temer

Atuou como secretário de estado de Agricultura (no governo de Joaquim Francisco – PFL) e chegou à  Câmara dos Deputados, em Brasília, pela primeira vez, em 1995.

Em Brasília, destacou-se como presidente da Comissão Especial de Reforma Política e Eleitoral.

Como vice-governador, teve destaque na coordenação e atração de investimentos e na ampliação e consolidação do Porto de Suape. Foi secretário-executivo do Pacto 21, um conselho formado por empresários, intelectuais e universidades para discutir projetos estruturadores para impulsionar o desenvolvimento econômico e social de Pernambuco. Coordenou o processo de privatização da Companhia de Eletricidade de Pernambuco (Celpe).

Derrotas
Candidatou-se a prefeito do Recife na eleição municipal de 2008, ficando em segundo lugar. Voltou a ser candidato na eleição municipal de 2012, ficando em quarto.

Quando era vice-governador, tentou ocupar o cargo de titular do Palácio do Campo das Princesas, disputando a reeleição em 2006. Terminou o primeiro turno com 1,5 milhão de votos, quase 40% do total. No segundo turno, no entanto, perdeu para Eduardo Campos (PSB), que juntou as forças com Humberto Costa (PT), o terceiro colocado no primeiro turno.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.