1e8449f1-844f-4443-94c6-d771b2dc5a07Servidores municipais haviam deflagrado greve geral. Foto: Divulgação

Um dia após os servidores municipais deflagrarem greve geral, o prefeito de Rio da Conceição, Astrogildo França Filho, apresentou ao SISEPE-TO uma proposta para pagamento dos salários atrasados de abril e também do 13º salário de 2015. A decisão de deflagrar greve foi tomada em Assembleia Geral Extraordinária realizada no último dia 09, quando foi dado um prazo de 72 horas para que a Prefeitura efetivasse o pagamento. Como o prazo não foi cumprido, os servidores entraram em greve.

A proposta apresentada pela Prefeitura nesta terça-feira, 17 de maio, estabelece que o pagamento dos servidores do Quadro Geral e do Fundo Municipal de saúde serão feitos da seguinte forma: 1) referente ao mês de abril de 2016, será pago em 10 de junho de 2016; 2) referente ao mês de maio de 2016, será pago em 30 de junho de 2016; e 3) referente ao 13º salário de 2015, será pago em 29 de maio de 2016.

VEJA TAMBÉM
Entidades emitem Nota de Repúdio pela violência contra uma servidora pública

8d8d3610-7cca-4e4b-9265-57ea42cb55f0

Diante da proposta e do compromisso da administração municipal em regularizar os pagamentos, os servidores municipais decidiram suspender o movimento grevista. O ofício com a proposta oficial foi encaminhado ao presidente do SISEPE-TO, Cleiton Pinheiro, e será respondido nos próximos dias.

“A greve foi vitoriosa porque demonstrou a força e a união dos servidores. Foi a nossa pressão, a nossa mobilização que fez com que a Prefeitura formulasse uma proposta e estabelecesse as datas para cada pagamento. Agora, nosso vamos continuar acompanhando de perto o cumprimento do que foi acordado, a fim de que o servidor tenha seu direito reconhecido”, avaliou o delegado regional Sudeste, Dimar Crisóstomo, que acompanhou toda a mobilização em Rio da Conceição. O município está localizado a aproximadamente 357 quilômetros de Palmas, Capital do Tocantins.

(Assessoria Sisepe)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.