4f5dcd50-bbb0-4715-8281-24b66a39400e

Os resultados do projeto Cerrado-Jalapão foram tema prioritário na reunião realizada nesta segunda-feira, entre a embaixada alemã e o Governo do Estado, por intermédio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh). A avaliação contou com  representantes da embaixada alemã no Brasil do Naturatins e Ruraltins.

Iniciado em dezembro de 2011, com término previsto para outubro deste ano, o projeto visa à prevenção e ao combate a incêndios florestais naquela região, e tem como parceiros agências internacionais, a exemplo do KfW (Banco Alemão para o Desenvolvimento), um dos financiadores, a Agência Alemã de Cooperação Técnica (GIZ), Ministério do Ambiente, CMBio, Ibama. Em nível local a parceria conta com a Semarh, Naturatins, Ruraltins e Defesa Civil.

Para o coordenador geral do projeto, no Brasil, Michael Scholze, a renovação da parceria vai depender do interesse do governo alemão, após avaliação do desenvolvimento do projeto. Ele adianta, no entanto, que a decisão da embaixada vai levar em conta os avanços do projeto e também da contrapartida que será apresentada pelo governo brasileiro. “Pode ser que outros projetos sejam apresentados, inclusive”, ponderou.

VEJA TAMBÉM
Projeto Cerrado-Jalapão é tema de Seminário Internacional

“O nosso objetivo principal é somar esforços para que a parceria possa reduzir os impactos das queimadas no cerrado”, observou a titula da pasta, Meire Carreira, durante a reunião, que contou também com a participação do Diretor de Instrumentos de Gestão Ambiental da Semarh, Rubens Brito.

Houve uma rodada de apresentação do projeto e em seguida, a equipe alemã embarcou para o Jalapão, para conhecer de perto a região.

MIF

O MIF (Manejo Integrado do Fogo) e uma prática preventiva e educativa, cujo objetivo principal é reduzir os impactos das queimadas e incêndios na região do Jalapão, que tem seu período mais acentuado entre os meses de agosto a outubro, mas a partir dos meses de abril e maio, a Semarh e os parceiros locais começam com as ações preventivas.

 “A natureza do trabalho desse projeto já faz parte do nosso dia a dia, como a sensibilização dos produtores sobre o perigo de incêndios, práticas ecologicamente sustentáveis, alternativas ao uso do fogo e orientações técnicas para realizar queimadas controladas, são algumas das ações”, explica o diretor Rubens Brito, para quem a ideia é fortalecer, cada vez mais, essa parceria que tende a potencializar o nosso trabalho e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida do agricultor e suas famílias.

VEJA TAMBÉM
Tocantins terá três pilotos na 24ª edição do Rally dos Sertões

O projeto, promovido entre o governo brasileiro e o governo alemão, tem como parceiros na implantação o Ibama/Prevfogo, o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), o Ruraltins, a Embrapa, o Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidades (ICMBio) e a Cooperação Técnica Alemã (GIZ).

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.