Moda-evangélica-vestido-037

O mercado da moda para evangélicos está em crescimento mesmo diante da crise econômica. É isso que afirmam os publicitários Pedro Hermano e Gabriel Santacreu, donos da loja virtual Salmo que comercializa roupas e acessórios com o tema cristão.

A loja criada em novembro do ano passado não foi impactada pela crise financeira e continua vendendo seus produtos para o público.

O mesmo acontece com a Saia Bella, loja que pertence a contadora Simone Carvalho. Aberta desde janeiro de 2015, a loja física atende em Guarulhos, na Grande São Paulo, e já se prepara para inaugurar a primeira franquia.

Segundo a reportagem do UOL, a Saia Bella espera faturar entre R$ 3 milhões e R$ 5 milhões neste ano, número cem vezes maior que o investimento de R$ 4 mil feito na abertura da empresa.

A loja Salmo não fala em expectativa de vendas, mas revelou que investiu R$ 350 mil para abrir a loja virtual.

“Somos uma opção de moda para pessoas que têm fé e querem mostrar isso com estilo”, diz Hermano.

VEJA TAMBÉM
Otoni de Paula barra Perlla em igreja por ter participado de roda de samba

As camisetas vendidas na loja dos publicitários trazem frases estampadas como, “Mas tu não serás atingido” e “Senhor guia meus passos”. Já os acessórios trazem símbolos da fé cristã como a cruz.

O sucesso dessas empresas está relacionado também com o diferencial oferecido ao mercado. A Saia Bella, por exemplo, tem uma numeração mais ampla que muitas lojas, indo do tamanho 36 a 52.

A grife Thaís Rodrigues tem feito sucesso exatamente por ter um diferencial: lançamentos semanais e 80% dos looks com estampas exclusivas.

Criada em 2011 pela designer de moda Thaís Rodrigues, a loja conta com confecção própria e coleções que prezam pelos dogmas da religião sem perder as tendências da moda.

O resultado é que além de vestir mulheres evangélicas, a loja também ganhou o público das empresárias – de diversas religiões, que precisam de looks clássicos e elegantes.

Saber atender ao público evangélico também é um fator importante para que o empresário tenha sucesso. “Não se trata de vender roupas com características específicas. É preciso mergulhar de verdade no universo da religião”, ensina Artur Shoiti, consultor de negócios do Sebrae-SP.

VEJA TAMBÉM
Presidente JC visita o SEBRAE – Paraíso

Com informações Gospel Prime

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.