- Marcelo Piu / Agência O Globo
– Marcelo Piu / Agência O Globo

RIO – O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), considerado a inflação do aluguel, ficou em 0,82% em maio, acelerando frente ao 0,33% registrado em abril. Em igual mês do ano passado, a taxa ficou em 0,41%. Nos doze meses encerrados em maio, a alta foi de 11,09%. No acumulado do ano, até maio, a taxa é de 4,15%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) acelerou em 0,98%. No mês anterior, a taxa foi de 0,29%. O índice relativo aos Bens Finais variou 0,21%, em maio. Em abril, este grupo de produtos mostrou variação de 0,30%. Contribuiu para este recuo o subgrupo bens de consumo não duráveis exceto alimentação e combustíveis, cuja taxa de variação passou de 1,51% para 0,98%. Excluindo-se os subgrupos alimentos in natura e combustíveis, o índice de Bens Finais (ex) registrou variação de 0,22%. Em abril, a taxa foi de 0,37%.

Já o índice referente ao grupo Bens Intermediários aumentou 0,38%. Em abril, a taxa foi de – 0,94%. O principal responsável por este avanço foi o subgrupo materiais e componentes para a manufatura, cuja taxa de variação foi de -1,69% para 0,71%. O índice de Bens Intermediários, calculado após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, variou 0,45%, ante -1,03%, em abril.

VEJA TAMBÉM
Imposto do aluguel acumula em janeiro e tem alta de 6,65% em 12 meses

No estágio inicial da produção, o índice do grupo Matérias-Primas Brutas avançou 2,64%, em maio. Em abril, o índice registrou 1,78%. Os itens que mais contribuíram para este aumento foram: soja (em grão) (-1,59% para 12,38%), mandioca (aipim) (-12,71% para -9,80%) e milho (em grão) (7,59% para 7,93%). Entre os que caíram, destacam-se: laranja (15,20% para 0,85%), bovinos (0,01% para -2,28%) e cana-deaçúcar (2,97% para 0,36%).

O índice da Fundação Getulio Vargas (FGV) é o mais usado nos reajustes de contratos de aluguel no país. O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência e é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de energia elétrica e aluguel de imóveis. Com informações O GLOBO

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.