b8f007ca-e55a-4899-a458-b4e1b9bbfba6

“ Tirar o projeto de implantação e pavimentação BR-242 do papel tem que ser prioridade. Essa rodovia é estratégica para o Centro-Oeste e o Norte do país, ao abrir um novo corredor de exportação e integração entre Mato Grosso e Tocantins”, destacou o senador Ataídes Oliveira, nesta quarta-feira (01), durante audiência pública no Senado para discutir a finalização da Estrada Ecológica do Araguaia, conhecida também como Rodovia Transbananal.

O presidente do PSDB/TO lembrou que a BR 242, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal e que ligará Mato Grosso a Tocantins via Ilha do Bananal, reduz em até mil quilômetros a distância para escoamento da produção dos dois estados. A obra, frisou, é fundamental para o desenvolvimento da região, com a geração de mais emprego e renda para a população.

 Impacto ambiental e social

Ele disse acreditar que, não fossem a incompetência e os desvios do governo nos últimos anos, a BR 242 já estaria concluída. Para o senador, a obra pode ganhar novo ritmo com o fim da era PT: “Apesar da crise que o Brasil enfrenta, acredito que a partir de agora o país começa a caminhar para frente ”,

VEJA TAMBÉM
Prefeituras não perdem recursos com anulação do pacotaço de impostos, garante senador Ataídes

Um dos pontos destacados na audiência foi a necessidade de retomada dos estudos de impacto ambiental, já que um dos maiores entraves para a conclusão das obras na Estrada Ecológica são os trechos que atravessam terras indígenas. Ataídes argumentou que faltam investimentos e interesse da alta cúpula em ouvir os prefeitos e habitantes da região que podem ser afetados pelo projeto. “É da base que podemos tirar a solução para os problemas que estamos enfrentando ”, disse Ataídes.

A audiência pública com o diretor de Licenciamento Ambiental do Ibama, Victor Castro, e com o diretor de Infraestrutura Rodoviária do Dnit, Luiz Ehret Garcia, aconteceu na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.