Promotora de Justiça Maria Roseli de Almeida Pery
Promotora de Justiça Maria Roseli de Almeida PeryFoto: Ascom MPE-TO

A promotora pública da área da saúde, Maria Roseli Pery, afirmou em entrevista ao JM Notícia, na manhã desta sexta-feira (03), que o projeto de lei que está parado na Câmara de Palmas, que devolve ao Fundo Municipal de Saúde  dinheiro para atender à Vigilância Sanitária, mas que foi destinado a outros setores da administração, traz prejuízos às ações e prevenções do órgão, ao mesmo tempo em que a população ficaria exposta a riscos e doenças.

“O projeto de lei parado na Câmara prejudica as ações e serviços de competência da Vigilância Sanitária e atrapalha consequentemente a população de certa maneira, ficando exposta a risco de doenças, bem como, adoecer”, disse Dra Maria Roseli Pery.

 Pauta Trancada

A Câmara de Palmas segue com a pauta trancada há mais de sessenta dias, após a base do prefeito Carlos Amastha (PSB) perder as comissões permanentes da Câmara de Palmas. O controle destes órgãos é fundamental para a aprovação ou rejeição de matérias. Um dos exemplos recente foi o arquivamento pela Comissão de Constituição e Justiça e Redação da MP do PreviPalmas. A MP nem chegou a ser colocada em pauta pelo plenário.

VEJA TAMBÉM
Aprovado na Câmara, Projeto de Lei de Júnior Geo visa mais transparência nas licitações

Na reformulação das comissões da Casa Legislativa, os vereadores de oposição fizeram maioria em três das principais comissões: a de Constituição, Justiça e Redação; a de Finanças, Tributação, Fiscalização e Controle; e ainda, a de Políticas Públicas Sociais.

 Os vereadores da base governista entraram com mandado de segurança para a justiça suspender as novas comissões permanentes. No entanto, o juiz substituto Rodrigo da Silva Perez Araújo, da 4ª Vara da Fazenda e Registros Públicos de Palmas, indeferiu o pedido de liminar da base.

Mesmo após decisão judicial, os vereadores governistas não permitem quórum para apreciação da MPs que trancam as pautas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.