SIMED
Classe médica tem anseio por mudança de representatividade, diz Hugo Magalhães

Começou há pouco a votação para a escolha da nova diretoria do Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins (Simed-TO). A votação é feita presencialmente em Palmas, Araguaína e Gurupi. Nas demais cidades, os médicos votaram por carta. Ao todo são mais de mil profissionais filiados aptos a votar. O pleito segue até 17h.

São duas as chapas concorrentes: “Experiência e Renovação”, encabeçada pela atual presidente do sindicato, Janice Painkow, que está há oito anos no cargo; e “Responsabilidade Classista”, que tem Hugo Magalhães como candidato da oposição.

Ao votar nesta manhã, em Palmas, Magalhães destacou que a categoria “tem anseio por mudança”. “Tenho certeza que, após uma rápida análise de todo o conjunto de propostas e aquilo que foi feito e deixou de ser feito, a melhor opção para o Simed é a chapa 2. Chapa formada com muito esforço, pelo desejo único primeiramente de poder participar do pleito para mudar, oxigenar, alternar a gestão”, disse. “Para que um novo grupo, de colegas que todos conhecem, sabem de sua idoneidade e trabalho prestado à medicina pudesse mudar, fazer algo diferente, arregaçar as mangas e mudar a situação atual.”

VEJA TAMBÉM
Grupo de médicos se une e propõe nova alternativa de comando do Simed

Por meio de rede sociais, Magalhães fez um apelo: “Peço que avalie as propostas, as propostas de nossa chapa e de nossa adversária. Pense como está a categoria hoje e como está o seu local de trabalho, como está a nossa profissão no Tocantins. O que diria para um amigo querido ou até mesmo filho ou filha que quisesse ingressar na medicina aqui no Tocantins? Qual seria seu conselho ou orientação?”

Sua resposta, conforme destacou nas plataformas digitais, seria a seguinte: “Tente, busque seu sonho…Acredite! Vamos mudar esse quadro. Acredite mesmo. Isso que eu responderia. E essa mudança de quadro depende de todos nós. Reflita sobre o que foi feito pela gestão atual do Simed, o que deixou de fazer”.

AS PROPOSTAS

Entre as propostas da chapa 2 está a implantação do plantão jurídico 24 horas para dar respaldo aos profissionais em caso de problemas nas unidades de saúde ou processos. “Vai acabar esse negócio de o colega contratar advogado particular. A comunicação dos médicos com o serviço será feita por meio de um aplicativo, ágil e eficaz”, disse.

VEJA TAMBÉM
Chapa 2 propõe melhorar qualidade de vida dos profissionais: “Médico vai cuidar de médico”

Outros compromissos são a busca, junto ao governo do Estado, do cumprimento de acordos e direitos da classe, valorização da imagem do profissional, proximidade e atenção com o médico do interior, participação mais efetiva na discussão da política de saúde do Estado, melhoria das condições de trabalho e qualidade de vida do profissional, e transparência e responsabilidade com os recursos do Simed-TO.

SINDICATO FORTE E ATUANTE

Segundo ele, o grupo que representa tem, entre outros objetivos, fazer do Simed um sindicato forte, atuante e “que sempre estará ao lado do profissional, não de governo”. “Um sindicato acima de tudo unido. Nosso objetivo sempre foi unir a categoria. Vamos continuar brigando por melhorias das condições de trabalho, de forma firme e contundente para o cumprimento de acordos e pagamento de nossos direitos”, declarou.

Uma das medidas é unir a categoria. “Vamos trazer os colegas autônomos para junto de nós, unirmos força não para bater e protestar contra governo “A” ou “B”, mas fortalecer a categoria, que o médico volte a ser respeitado independente da especialidade, cidade que atue ou se é da iniciativa privada ou não”, comentou.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.