O pré-candidato também propôs a redução dos valores cobrados de IPTU
O pré-candidato também propôs a redução dos valores cobrados de IPTU

O pré-candidato à prefeitura de Palmas, Sargento Aragão, pelo Partido Ecológico Nacional  (PEN 51), declarou que a gestão Carlos Amastha chega ao final sem que nenhuma grande obra tenha sido feita na Capital, além de adotar medidas que sufocam a população e desestimulam investimentos. Ele participou da nona etapa da série de sabatinas como pré-candidatos à prefeitura de Palmas promovida por entidades classistas, no auditório da Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa).

 A saúde, a educação, o estacionamento rotativo, a segurança, o transporte público, o turismo, os impostos, a regularização fundiária, e, o Conselho de Inovação e Desenvolvimento Econômico de Palmas (Cidep) foram os temas abordados na reunião.

 Ao abrir o debate, Sargento Aragão assumiu o compromisso de, se for eleito, suspender imediatamente a cobrança do estacionamento rotativo e propôs a adoção de medidas legais para a extinção da cobrança, que vem causando prejuízos aos comerciantes da Avenida JK.  “É uma vergonha esse contrato, em que a administração pública fica com 7%  e a iniciativa privada com 93%, denunciou. “Para organizar essa questão, pretendemos reordenar completamente o uso dessas áreas públicas, que precisam estar voltadas aos interesses da população”.

 O pré-candidato também propôs a redução dos valores cobrados de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) como uma das primeiras medidas a serem adotadas, se eleito.  “Inicialmente precisamos fazer uma revisão da Planta Geral de Valores imobiliários de Palmas, contratando uma empresa com capacidade técnica para isto. Após, vamos propor readequar os valores do IPTU de acordo com esta nova avaliação para corrigirmos as distorções e os abusos na cobrança do imposto que estão sendo praticados pela atual gestão. “Este é um problema que afeta a população como um todo, desde o empresário até o cidadão mais humilde. Sem falar na falta de critério para as isenções, chegando ao absurdo de uma pessoa que tem mais de um imóvel ser contemplado com o benefício”.

VEJA TAMBÉM
Raul Filho destaca crescimento de Palmas em seu governo e critica estacionamento rotativo

 Para o pré-candidato, com a elevação de taxas e impostos, a atual administração municipal conseguiu um aumento significativo da arrecadação, mas esses recursos não se reverteram em melhorias e obras para a população. “O único grande legado dessa gestão é o relógio para extraterrestre na rotatória, que foi construído com recursos da iniciativa privada”, disse.

 Empregos

 Com o objetivo de fortalecer e fomentar a economia de Palmas, o pré-candidato disse que pretende abrir mais espaço ao empresariado em sua gestão com a criação da Secretaria da Micro e Pequena Empresa e a reestruturação do Banco do Povo, que será chamado Banco de Palmas. “Vamos fazer também que a pessoa que vai estar à frente da Secretaria da Indústria e Comércio seja escolhida a partir de uma lista tríplice, proposta pelos representantes das entidades classistas, com a avaliação do critério técnico pela próxima gestão”, afirmou.

 Preocupado com a falta de investimentos na geração de empregos na Capital, o pré-candidato disse que pretende tornar Palmas um polo da indústria têxtil, dando incentivo para que empresas de confecções venham se instalar na Capital. “Temos água para atender a indústria, temos uma boa logística e estamos próximos a grandes centros consumidores.”, explicou.

 Sargento Aragão propôs ainda que todo o material que a prefeitura venha a consumir, como produtos de limpeza, uniformes, alimentos, sejam comprados no comércio local e não fora, “como está sendo feito agora”.

 Aragão lamentou ainda que é preocupante a forma como a atual gestão vem tratando o empresariado palmense, que não conta com muito incentivo e apoio, além de sofrer com uma alta carga tributária.  “Vamos propor uma desoneração do ISS, que está hoje em 4% e uma redução de 50% na taxa do esgoto”, afirmou.

VEJA TAMBÉM
Em entrevista, Aragão diz que administração Amastha é pífia e que vai trabalhar pela industrialização e desoneração fiscal

 A presidente da Associação Tocantinense de Supermercados (Atos), Maria de Fátima de Jesus, destacou as propostas apresentadas pelo pré-candidato, principalmente, na questão de geração de emprego e renda. “Estas questões voltadas a gerar mais oportunidades de trabalho na cidade e de atrair novos empresários são muito importantes, porque favorecem a nossa economia e fortalece nosso comércio”, afirmou.

 Segurança Pública

 Para reforçar a segurança pública e reduzir os níveis de violência, o pré-candidato vai implantar o projeto Guarda Quarteirão. A proposta consiste na contratação de 400 guardas-quarteirões, que trabalharão diretamente nas quadras fazendo vigilância preventiva. Os recursos, conforme ele, serão relocados dos valores utilizados, atualmente, em contrato da administração municipal com empresa Total Vigilância e Segurança, na ordem de 10 milhões e 264 mil reais para fazer a vigilância de prédios alugados.

 Saúde 

 De acordo com o pré-candidato a vice, Dr. Luciano Castro, presidente metropolitano do PEN 51, a administração municipal utiliza mal os recursos empregados na saúde, repassando elevados valores para o HGP (Hospital Geral de Palmas), que, conforme ele está sobrecarregado e sucateado, com falta de equipamentos, medicamentos e pessoal. “ Para amenizar a situação, propomos a construção do Hospital Municipal de Urgência e Emergência na região sul da Capital, além do reforço e instalação de novas unidades básicas de saúde”, concluiu.

O presidente da Acipa, Kariello Coelho, destacou a importância da realização desta sabatina. “Foi muito proveitosa e esclarecedora. O pré-candidato mostrou conhecimento dos assuntos tratados e se comprometeu em trabalhar ao lado dos empresários pelo desenvolvimento econômico da capital”, disse.

O evento foi promovido pela Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa), Câmara de Dirigentes Lojistas de Palmas (CDL Palmas), Associação Tocantinense de Supermercados (Atos), Associação dos Distribuidores e Atacadistas de Tocantins (Adat) e  Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.