293451_700x450

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden), apresentou o potencial do Tocantins para investimentos na área de rações para peixes criados em cativeiro à representante da Cepal Rações, empresa do Rio Grande do Sul (RS), especializada na produção de ração animal, que busca oportunidade de negócio no Tocantins. O encontro aconteceu nessa segunda-feira, 11, na sede da pasta.

O gerente de Arranjos Produtivos Locais da Seden, Marcondes Martins, explicou que, dentre as vantagens que o Estado oferece, estão a facilidade de linha de financiamento com juros abaixo da inflação, em programas voltados para empreendimentos localizados na região Norte do País; o programa de incentivos fiscais que o Estado possui e a demanda existente por esse tipo de produto.

Atualmente, o Tocantins não possui uma fábrica especializada em ração para peixes que atenda a demanda do mercado do Estado.  A fábrica mais próxima de Palmas está a 800 km de distância. E a ração representa o item de maior impacto nos custos de produção da piscicultura, chegando a 70%, por isso, um empreendimento na área beneficiaria a cadeia da piscicultura no Estado. “Na falta da ração, o produtor, muitas vezes, se utiliza de alimentos alternativos o que compromete o desenvolvimento produtivo”, explicou Marcondes.

Para o subsecretário da Seden, Frederico Oliveira, a facilidade de acesso a insumos, como a ração, é um dos elementos indispensáveis para o Estado alcançar todo o seu potencial no setor. “O Tocantins tem oferta de água e ambiente favorável para desenvolver a piscicultura”, pontuou.

Representando a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o chefe-geral do Setor de Pesca e Aquicultura, Carlos Magno da Rocha, disse que a instalação de uma empresa desse ramo vai atender não só as demandas locais, como também a de estados vizinhos. “O Tocantins tem uma posição geográfica privilegiada, no centro do País. A logística é muito boa com os modais e o Governo do Estado tem investido em infraestrutura”, destacou.

A empresa Cepal Rações produz em média oito mil toneladas/mês de ração. Visitando o Tocantins pela primeira vez, o diretor executivo da empresa, Luiz Pagmussat explica que o Estado tem grande potencial para o setor tanto pela falta de concorrentes como pela matéria-prima para produção da ração: milho e soja, ambos produzidos no Tocantins.

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.