REDAÇÃO

Nando-1b
Nando Milhomem, pré-candidato a Prefeito de Paraíso do TO

A Lei Municipal 1.741/2014, que instituiu o Plano Plurianual 2014-2017 do município de Paraíso do Tocantins teve, durante a sua tramitação, a luta do vereador Nando Milhomem (PV) para incluir a ação “Disponibilização de Ônibus para Transporte Universitário Paraíso-Palmas”. Representante dos universitários na Câmara Municipal, o parlamentar se engajou para dar condições legais para que o Poder Executivo, com a dotação orçamentária específica no montante anual de R$ 300.000,00, pudesse concretizar este sonho dos universitários paraisenses.

Consultado pelo Prefeito Moisés Avelino em 2013 sobre a legalidade da ação, o Tribunal de Contas do Estado do Tocantins respondeu de forma positiva as indagações do gestor dando várias opções para que o Transporte Universitário, que existe em várias cidades do Tocantins, fosse realizado em Paraíso do Tocantins com total amparo da Corte de Leis.

“Por birra política o Transporte Universitário não saiu. É inadmissível que nos dias atuais, sabendo que mais de 500 alunos transitam diariamente no trecho Paraíso-Palmas, o nosso município não dê nenhum amparo aos universitários que buscam formação superior. Vamos aproveitar a lei que nós aprovamos, que valerá também em 2017 para incluir no Plano de Governo Participativo que estamos elaborando a proposta do Transporte Universitário. Por nossa luta, os universitários saberão que não é mais uma promessa de político e sim uma proposta viável com condições de ser concretizada”, observou o pré-candidato Nando Milhomem.

VEJA TAMBÉM
Vereador evangélico JC (PTB) toma posse como presidente da Câmara Municipal de Paraíso TO

O Transporte Universitário, iniciado no ano de 2012, na gestão do ex-prefeito Paulo Tavares, foi um dos pontos mais debatidos na Eleição que elegeu Moisés Avelino mas, mesmo sendo promessa do candidato eleito à época, não foi realizado na gestão peemedebista.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.