pokémon-go-460x280Pouco mais de uma semana após ser lançado, Pokémon GO conseguiu dar uma amostra do que virá por aí quando jogo for lançado mundialmente – algo que a Nintendo, que publica o título, diz que vai acontecer em breve.

Só que nem todo mundo está contente com esse sucesso: é o caso do pastor norte-americano Rick Wiles, que disse em um programa de rádio nesta quarta-feira (13) que o novo game dos monstrinhos é uma ferramenta usada por demônios para corromper cristãos e destruir igrejas. Wiles contava um depoimento na transmissão sobre quando teve de chamar a polícia após ver um rapaz tirando fotos do prédio onde fica seu escritório. Depois de registrar uma ocorrência, o líder religioso descobriu que o homem em questão só estava jogando Pokémon GO em seu smartphone.

Para quem ainda não jogou, o game de realidade aumentada consiste em usar o GPS do celular para procurar os monstrinhos no mundo real. Quando um deles é localizado, é preciso apontar a câmera do telefone para usar uma pokébola e capturá-lo Para Wiles, o hype causado pelo novo jogo da franquia Pokémon é sinal de que “algo sinistro está acontecendo”, e alerta que “essas criaturas pokémon são como ciberdemônios – demônios virtuais”. No caso do garoto parado em frente ao prédio, o pastor disse que o que ele estava tentando encontrar, na verdade, “era um demônio pokémon que tinha sido colocado dentro do escritório”.

VEJA TAMBÉM
Jovem russo que jogou Pokémon na igreja foi condenado à prisão

Ainda segundo Wiles, a tecnologia é uma ferramenta perigosa. E avisa: “E se essa tecnologia estiver sendo transferida para os jihadistas do Estado Islâmico, que por sua vez têm um app que informa onde os cristãos estão localizados geograficamente?”, disse, se referindo ao fato que muitos Ginásios e Pokéstops incluem igrejas e outros edifícios para realização de cultos. “O inimigo, Satanás, tem como alvo as igrejas com demônios digitais. Acredito que essa coisa (Pokémon GO) é um ímã para os poderes demoníacos. Ela gera demônios dentro das igrejas, infestando elas com atividade demoníaca.

Esta tecnologia será usada pelos inimigos da cruz para indicar, encontrar e executar os cristãos”, completou. Além disso, o pastor acredita que os usuários mais dedicados (ou viciados), os chamados Mestres Pokémon, poderão desenvolver comportamentos mais agressivos em busca dos monstrinhos mais raros ou difíceis de se conseguir. Na opinião do pastor, o aplicativo do jogo “poderá dizer para esses usuários matar outras pessoas nos edifícios” caso queiram conquistar mais pokémon.

VEJA TAMBÉM
Jovem russo pode ser preso por jogar Pokémon Go na igreja

Ao final do programa, Wiles alerta para que todos parem de jogar Pokémon GO imediatamente.

Com informações CanalTech via Gizmodo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.