Da Redação JM Notícia – Ricardo Costa

A frágil candidatura de Cláudia Lelis e o recuo do PHS e PMDB
A frágil candidatura de Cláudia Lelis e o recuo do PHS e PMDB

Tinha tudo pra ser uma grande festa o lançamento da candidatura da então vice-governadora Cláudia Lelis à prefeitura de Palmas. Todavia, o anúncio proferido nesta manhã de sexta feira, 15, como o nome oficial da “Frente por Palmas”, na verdade foi ofuscado pelo inesperado recuo do PHS de Kairo Bernardo, e do mais esperado PMDB de Derval de Paiva, aliado fiel ao governador Marcelo Miranda.

Ao JM Notícia, Kairo Bernardo afirmou que o PHS decidiu manter a sua pré-candidatura a Prefeito. Já o presidente regional do PMDB, Derval de Paiva, afirmou ao Portal CT, que é preciso debater mais para definir uma candidatura única de oposição ao prefeito Carlos Amastha (PSB).

Segundo Derval, presidente regional do partido, os grupos internos do PMDB não foram informados da decisão da Frente Por Palmas em oficializar o nome de Cláudia Lelis.

PRESENÇAS

O anúncio do nome da vice-governadora Cláudia Lelis não teve a presença do governador Marcelo Miranda, nem das deputadas Dulce Miranda e Josi Nunes, ambas do PMDB. Também não foi citada a presença do secretário de Governo, Lyvio Luciano Carneiro de Queiroz e nem de secretários de Estados, em uma clara simbologia de que o governo ainda não estaria dentro do projeto do PV ao Paço Municipal.

VEJA TAMBÉM
“Prefeitura tem dinheiro para pagar professores”, diz Milton Neris
Derval de Paiva não descarta candidatura a prefeito de Palmas e critica declaração do PT
Derval de Paiva diz que manterá pré-candidatura

O recuo do PHS e do PMDB ontem deixou claramente nas entrelinhas, de que o Palácio ainda analisa um nome à prefeitura de Palmas, capaz de aglutinar diversas forças políticas para derrotar o prefeito Carlos Amastha, desgastado pelo alto índice de rejeição na sua gestão.

Segundo fonte do JM, o governo fará qualquer coisa para ver Amastha fora da prefeitura no próximo ano.

TRABALHO

Articulada e com um planejamento em longo prazo, não se pode negar que a vice-governadora é a única que de fato até aqui tem tentado mostrar um projeto de governo viável ao palmense, realizando diversas ações na capital e apresentando outras propostas, no entanto, alguns líderes políticos de oposição a Amastha resistem ao nome de Cláudia.

Na oportunidade, a vice-governadora também teceu elogios a Sigla pelo crescimento no Tocantin
Vice-governadora Cláudia Lelis é um de seus momentos de reuniões pela cidade de Palmas – Foto: Divulgação

O PV conseguiu aglutinar em torno de si alguns partidos, no entanto, alguns sem muita força no contexto político local, o que dificulta a aproximação de outros partidos.

PSC

Nos bastidores, comenta-se que o PV tentou trazer para a “Frente por Palmas”, o PSC do vereador João Campos (PSC), entretanto, o PSC deve ficar da forma como está.

VEJA TAMBÉM
Eduardo Siqueira descarta candidatura a prefeito e diz que, no momento, a sensação é de desconforto por parte da população em relação a Amastha

AMASTHA

Amastha faz exonerações de novos secretários; vice pode estar entre os exonerados
Alan Barbiero é cotado para substituir Amastha (PSB)

São fortes os rumores nos bastidores de que o Prefeito Carlos Amastha (PSB), poderá declinar da sua reeleição. Segundo fontes do JM Notícia, o grande desejo do prefeito Carlos Amastha, é lançar a candidatura do ex-secretário Tiago Andrino, mesmo sabendo que não decolaria para concorrer a prefeitura, mas, criaria uma base eleitoral em 2018 para deputado federal. O outro nome mais cotado para substituir o prefeito é o suplente de deputado Alan Barbiero (PSB), tendo um possível candidato evangélico como vice. Com essa articulação, vários partidos poderão se aproximar do Paço, já que Amastha não seria candidato.

Com o anúncio do Alan Barbiero, o cenário muda e novas forças políticas devem surgir…

Como dizia meu ex-chefe, o jornalista Salomão Wenceslau, pois é, isso aí.. vamos aguardar os dias….ele é o senhor do tempo…

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.