Recentemente, a cidade libanesa de Al-Qaa, conhecida por ser predominantemente cristã, foi surpreendida por uma série de ataques suicidas que mataram cinco pessoas e feriram pelo menos trinta. No total, oito militantes se explodiram. Embora nenhum grupo tenha ainda se responsabilizado formalmente pelos ataques, as autoridades libanesas apontam claramente para o Estado Islâmico (EI).

Segundo informações locais, o primeiro ataque começou quando um homem-bomba detonou sua carga diante de uma casa e vários moradores correram para ver o que estava acontecendo, então outros três fizeram o mesmo. Houve o segundo ataque em frente a uma igreja, com os outros quatro suicidas, enquanto as vítimas ainda lamentavam o ocorrido. Um deles foi baleado, mas logo em seguida detonou seu cinto de explosivos, os demais cronometraram suas bombas para explodir em intervalos de 10 em 10 minutos. Há relatos de que antes de morrer, eles gritaram “Allahu Akbar” (Deus é grande).

A região onde ocorreram os incidentes fica perto da fronteira com a Síria, onde os confrontos entre o exército libanês e o grupo Frente Al-Nusra ou Jabhat Al-Nusra, como também é conhecido, são frequentes. Esse grupo sunita, cujo nome quer dizer “Vitória para a Síria” é um braço do Al-Qaeda, que tem liderado também vários combates contra o governo. O Líbano tem recebido muitos cristãos que vêm da Síria, por conta da guerra civil no país. Mas, tanto numa nação quanto na outra, eles estão cada vez mais vulneráveis.

VEJA TAMBÉM
"Suicídio não é um pecado sem perdão", explica Augustus Nicodemus

Com informações Portas Abertas

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.