O programa “Zorra”, da Globo, fez chacota com todas as igrejas –católica, evangélica etc– durante a edição do humorístico exibido na noite deste sábado (16).

Na esquete, o programa mostra vários executivos de uma empreiteira reunidos numa sala. Preocupados com a Polícia Federal, os empresários buscam desesperadamente uma solução para fugir da cadeia. A secretária, então, sugere contratar Marlene (Dani Calabresa), gestora de crises, com amplo conhecimento de mercado.

“A Marlene é a maior gestora de crises do Brasil. Ela atuou no caso do recall das torradeiras, no bingo dos bebês e também foi muito bem no caso dos pinguins superfaturados. Vocês nunca ouviram falaram porque a Marlene encobriu tudo e não deixou sair uma linha sequer na mídia golpista”, relatou a personagem.

Após convencer os executivos, Marlene é chamada às pressas para resolver o caso da empreiteira. Ela entra na sala e logo apresenta uma solução. “Marlene, gestora de crise. Aqui, cada um vai pegando a sua bíblia e vai rezando. É o seguinte. Vocês não são mais a empreiteira Lobato e Fagundes Junior Engenharia e Construção. Agora, vocês são a Igreja do Sétimo Tijolo”, disse.

VEJA TAMBÉM
Nova lei eleitoral deve beneficiar evangélicos, diz Folha

Em seguida, a Polícia Federal entra na sala de reuniões acusando os executivos da empreiteira de desviar o dinheiro público para financiar partidos. “Cadê o dinheiro que vocês usaram para financiar partidos políticos?”, perguntou o policial. “Nós não financiamos nada, só devolvemos o dinheiro porque não conseguimos tirar o capeta do partido. O partido estava endemoniado e nos contratou para fazer o exorcismo. Não conseguimos tirar e, como somos honestos, apenas devolvemos o dinheiro ao partido”, respondeu.

Depois de inúmeras explicações, todos se livram da cadeia e Marlene cobra a dívida. “E sem esse papinho de crise. Vocês não são mais empreiteira, vocês são a Igreja, não pagam imposto. Igreja é o quê? Só lucro e alegria”, decretou.

A brincadeira do programa é uma referência às investigações feitas pela Polícia Federal e que envolvem a corrupção.

“Zorra” estreou o novo formato em maio do ano passado fazendo piada com a concorrente Rede TV! e a idade da jornalista Glória Maria. A ideia da Globo era exatamente essa, o de promover esquetes rápidas, com uma pegada mais cotidiana, como a crítica à polêmica criada na propaganda de O Boticário.

VEJA TAMBÉM
Dona do 'Tinder' lança aplicativo evangélico de relacionamentos

Ao todo, o elenco do humorístico é formado por cerca de 45 atores, entre remanescentes do extinto modelo – casos de Fabiana Karla, Nelson Feitas, Talita Carauta, Rodrigo Sant’Anna e Mariana Santos, e os novos artistas, com destaque especial para a ex-“CQC” Dani Calabresa.

Nas redes sociais, internautas se dividiram em relação à estreia do programa. Alguns, elogiaram as piadas apresentadas; outros, no entanto, definiram as brincadeiras como de mau gosto, principalmente aquelas relacionadas à religião. Com informações TVeFamosos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.