7b7a770e-3ace-4ab8-8974-a3a56b23ad91
2.600 jovens de todo o Mato Grosso do Sul doaram suas férias para a Missão Calebe. Foto:Reprodução

Anualmente, adolescentes e jovens da igreja adventista dedicam o período de férias escolares para realizar ações sociais e oferecer estudo bíblico à população. Grande parte deles sai de suas cidades e aceitam o desafio de passar esse período em um local diferente, conhecendo uma nova cultura e realidade e atendendo as necessidades do próximo.

Esse programa é conhecido como Missão Calebe – um projeto missionário da Igreja Adventista do Sétimo Dia que acontece simultaneamente em toda a América do Sul no mês de julho – e existe há dez anos em todo o território sul-americano.

Entre as ações do projeto estão o estudo bíblico, uma forma voluntária de oferecer às pessoas uma melhor compreensão da Bíblia. Além disso, os jovens dedicam-se a ações sociais, tais como: reforma ou construção de casas em comunidades carentes, arrecadação e doação de alimentos, roupas e brinquedos, visitam hospitais, orfanatos e clínicas, entre outras.

“Em 2016, 2.600 jovens adventistas de todo o Mato Grosso do Sul doaram suas férias para a Missão Calebe”, conta Lady Rodrigues, secretária do departamento de jovens da igreja adventista para o Estado.

No último final de semana, os jovens da igreja adventista do bairro Universitário, de Campo Grande, arrecadaram roupas de frio e organizaram o “Varal Solidário” em frente à rodoviária da capital. Ali, um extenso fio por toda a avenida servia de apoio para agasalhos delicadamente pendurados e, pouco a pouco, a parte mais carente da população se aproximava, escolhia as peças e deixava o local com sorriso de gratidão.

VEJA TAMBÉM
Missionário fala sobre o contrabando de Bíblias

Até mesmo pessoas de fora do Estado, em passagem pela cidade, puderam levar peças de roupa que estavam em falta no armário. É o caso do ajudante de pedreiro Valdeci Oliveira.“Eu acho importante esse trabalho porque as pessoas precisam e é uma forma que a igreja tem de demonstrar amor ao próximo. Eu, por exemplo, estava precisando de roupas e peguei duas calças, uma blusa e também vi algumas pessoas que moram na rua passando pelo varal e levando agasalho”, relata Valdeci, natural de Maringá, no Paraná.

A esposa dele, a professora Marcinete Rocha, conta que se assustou com a possibilidade de levar para casa peças de roupas sem ter que desembolsar nem uma quantia por isso. “É algo diferente, porque geralmente as pessoas vendem roupas com preços muito baixos em bazar para ajudar aqueles que têm menos. Mas, o varal foi feito para doar roupas às pessoas mais necessitadas e isso é muito bacana”, comenta.

Construindo uma igreja

Em outro ponto da cidade, na região do bairro Caiobá II, diante da realidade local, os calebes organizaram uma feira de saúde para levar atendimento gratuito à população. “Mais de 200 pessoas passaram pela feira e receberam atendimento com médicos, nutricionista, dentistas, educadores físicos, realizaram testes de glicemia, aferimento de pressão. Além disso, a ação social teve ainda cortes de cabelo gratuitos”, conta Lucas Nunes, pastor e líder dos calebes na região.

VEJA TAMBÉM
Coreia do Norte liberta pastor canadense condenado à prisão perpétua

Os jovens conseguiram ainda parte dos recursos para construção de uma igreja adventista no bairro. “Na região existem 1.500 casas populares onde os jovens fazem visitas, ouvem as necessidades dos moradores, os auxiliam e oferecem estudo bíblico. Como ali ainda não havia igreja adventista, em parceria com um grupo que se reunia em uma casa, os calebes começaram nessas férias a construção da primeira igreja adventista do bairro Caiobá II”, ressalta Nunes.

Esse tipo de ação tem diversos efeitos na cabeça dos jovens. “Eles criam uma identidade, pois estão fazendo algo por sua comunidade e começam a se sentir relevantes, entendendo que podem fazer algo a mais pelas pessoas, sejam quais forem suas necessidades. Focamos em ações que podem atender todas as classes, mas principalmente, as pessoas de menor renda para que o amor de Deus de que tanto falamos seja sempre algo prático e não somente teoria”, destaca Ruben Godoy, doutor em Engenharia Elétrica e líder de jovens adventistas de Campo Grande.

Com informações MSNoticias

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.