ISRAELA primeira diáspora do povo judeu aconteceu em 586 a.C, quando Nabucodonosor II, imperador da Babilônia, invadiu o reino de Judá. A segunda diáspora, que durou quase dois mil anos aconteceu em 70 d.C, quando os romanos destruíram Jerusalém.

Em 1948 foi instituído o Estado de Israel, com a ajuda fundamental do brasileiro Osvaldo Aranha, com a constituição do país a segunda diáspora teve fim, no entanto, mesmo com o fluxo constante de judeus voltando ao país de origem, as famílias permaneceram espalhadas ao redor do globo, para se ter uma ideia da proporção, na última década foi registrada uma população de 6 milhões de judeus em Israel, contra 5,5 milhões de judeus radicados só nos Estados Unidos.

O movimento de volta do povo judeu a Israel que andava lentamente, se acelerou de maneira impressionante nos últimos anos, assim como previa às escrituras. Só no Brasil nos últimos três anos o fluxo de judeus voltando à Israel aumentou 100% . Segundo dados da última pesquisa feita pela Federação Israelita do Estado de São Paulo, são 110 mil judeus vivendo no Brasil, deste número 500 voltaram à Israel só em 2015 e a expectativa é que o número dobre em 2016.

A União Internacional de Cristãos e Judeus (UICJ), uma organização mundial que desenvolve cerca de 400 projetos humanitários com judeus ao redor do mundo, desembarcou no Brasil este ano e já tem atuado ativamente no auxílio às famílias judias brasileiras a voltarem para Israel.

VEJA TAMBÉM
Brasil vai encolher 3,5% em 2016 e não vai crescer em 2017, diz FMI

“Um dos projetos da UICJ mais populares no mundo é o de ajuda a judeus a retornarem ao país de origem, a estimativa é que até o final de 2016, 100 famílias judias brasileiras retornem para Israel com a nossa ajuda.”, explica Michel Freller, diretor executivo da UICJ no Brasil.

 O processo para contar com a ajuda da UICJ para as famílias judias voltarem a Israel é bem simples, a organização possui escritórios no Rio de Janeiro e em São Paulo e por meio de duas bases, a instituição atende judeus de todo o Brasil, para saber como fazer parte do projeto basta entrar em contato com a instituição através da página da entidade no Facebookhttps://www.facebook.com/KerenleyedidutBrasil/?fref=ts.

Quem analisa a situação com olhos meramente sócio econômicos, enxerga uma série de motivos para esta volta do povo judeu a Israel, como por exemplo a perseguição religiosa em alguns países e também as crises econômicas que assolam diversos países do mundo, incluindo o Brasil, no entanto, quem conhece a palavra de Deus sabe que o movimento de volta dos judeus à Israel é muito mais do que um simples deslocamento social, na realidade é o cumprimento de uma das principais profecias bíblicas.

VEJA TAMBÉM
Coluna de nuvem protege fronteira de Israel e chama atenção nas redes sociais; assista

 “A UICJ existe para desenvolver uma ponte entre judeus e cristãos no mundo todo e vive de donativos, principalmente dos cristãos evangélicos. Com estas doações desenvolvemos um trabalho humanitário lindo em Israel e com judeus em diversos países o mundo. Participar ativamente do cumprimento desta profecia que só no velho testamento aparece três vezes e que se completa no novo testamento, quando Lucas aponta no seu livro no capítulo 21, versículo 28 que quando as profecias e os sinais começarem a se cumprir, a nossa redenção estará próxima, é um grande privilégio. Contribuir com a UICJ é poder participar ativamente desta redenção”, finaliza Filipe Coelho, diretor de relações ministeriais da UICJ no Brasil.

 Para colaborar com a UICJ é bem fácil, basta acessar o site www.uicj.org.br lá todos os passos para ser um doador da instituição são explicados detalhadamente.

Sobre a União Internacional de Cristãos e Judeus

 A União Internacional de Cristãos e Judeus (UICJ) foi fundada em 1983 pelo rabino Yechiel Eckstein, nos EUA, com a finalidade de construir pontes de entendimento e cooperação entre Judeus e Cristãos. Com cerca de 1,5 milhões de doadores ao redor do mundo, sendo destes 99% cristãos, a UICJ mantem mais de 400 projetos humanitários em Israel com foco nos Judeus que vivem em extrema necessidade.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.