20160725202742641128u
O bispo Marcelo Pires recebeu um dos guerreiros da Tribo Massai, do Quênia no Templo de Salomão. Foto: Reprodução/Facebook

O programa da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) exibido pela Record, no último domingo (24), foi alvo de críticas após divulgar o trabalho de evangelização de povos africanos. Na atração, o bispo Marcelo Pires recebeu um dos guerreiros da Tribo Massai, do Quênia, e um pastor responsável da evangelização no país. O encontro foi no Templo de Salomão, em São Paulo.

A atração foi divulgada na página oficial da Igreja Universal. “Isso mostra que a missão da Universal é salvar almas e levar o Evangelho a todas as criaturas, custe o que custar”, diz o texto. A postagem repercutiu na web com mais de 25 mil curtidas e 10 mil compartilhamentos.

Nos comentários, há os que acreditam que a Universal, ao divulgar suas crenças entre as nações da África, estaria, na verdade, destruindo a cultura dessas comunidades. Outros, adeptos e simpatizantes da igreja de Edir Macedo, creem na pregação do evangelho cristão como um bem a ser espalhado pelo mundo.

“Custe o que custar pra mim significa à força, e o que se tem que fazer à força nunca é bom”, critica uma internauta. “Respeitem a fé dos outros, isso é uma violência cultural e religiosa sem tamanho!”, escreve outro. “Isso é um completo desrespeito a cultura de outros povos. Vocês agem de forma etnocêntrica, arrogante e racista. Uma vergonha para o Brasil”, comenta o internauta.

VEJA TAMBÉM
Avivamento toma conta do norte da África

Via Diário de Pernambuco

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.