O pastor Milton França que foi denunciado por expor na fachada de uma igreja, em Porto do Sauípe, Litoral Norte da Bahia, uma mensagem do livro de Levítico condenado o homossexualismo afirmou, em depoimento ao Ministério Público da Bahia (MP-BA), que não é homofóbico e que “tem sentimento de amor pelos homossexuais”.

Entretanto, além de estar enfrentando o Ministério Público, os simpatezantes do movimento LGBT e os próprios homossexuais, agora ainda tem que ouvir um jovem que se diz homossexual “pregar” a Palavra de Deus” para ele.

Veja o vídeo:

O caso

Milton França Fernandes, que é pastor há 22 anos, contou em depoimento que se colocou sob o risco de ser processado por amor. “[Foi] por amor a eles [gays], para chamar atenção deles que isso não é correto”, defendeu. Ele acrescentou que uma das frases expostas não revela apenas uma crença individual, mas um pensamento bíblico inspirado por Deus.

A decisão do pastor Milton França de pendurar uma placa com um trecho do Levíticos, da Bíblia, provocou indignação em vários moradores de Porto Sauípe, distrito de Entre Rios, a 70 km de Salvador. Nesse sábado (30), a partir das 17h, haverá um protesto na localidade contra o pastor.

Um dos moradores indignados era Taylor Rudimiler, homossexual, que foi cristão por 12 anos.

Com informações Correios 24h

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.