the_chronicles_of_narnia-hdA franquia As Crônicas de Nárnia vai voltar aos cinemas em breve, informou VEJA. O estúdio TrisStar Pictures anunciou que mais um livro da série do britânico Clive Staples Lewis vai virar filme, A Cadeira de Prata (lançada no Brasil pela Martins Fontes). A adaptação do script será feita por David Magee, indicado ao Oscar de melhor roteiro adaptado por As Aventuras de Pi (2012). Não foi divulgada a previsão e estreia do novo longa.

Quarto livro da série criada por C.S. Lewis, e o primeiro sem a presença dos irmãos Pevensie, A Cadeira de Prata se passa 70 anos depois de A Viagem do Peregrino da Alvorada no tempo de Nárnia, o que permite a entrada de um novo elenco. Na trama, Eustáquio volta a Nárnia na companhia de sua amiga Jill Pole.

David Magee, de As Aventuras de Pi, escreve o filme, que ainda não tem diretor contratado. O Sobrinho do Mago, que trata das origens de Nárnia e do guarda-roupa do primeiro filme, chegou a ser cotado como o quarto longa da série cinematográfica, mas o estúdio e os herdeiros de C.S. Lewis decidiram seguir a ordem cronológica dos livros de C.S. Lewis.

O primeiro filme da franquia, As Crônicas de Nárnia: O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa, foi lançado em 2005 e teve bons resultados: arrecadou 745,01 milhões de dólares ao redor do planeta. Os outros dois, As Crônicas de Nárnia: Príncipe Caspian (2008) e As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada (2010), não repetiram o sucesso do primeiro, mas também foram bem, arrecadando respectivamente 419,66 milhões e 415,6 milhões de dólares em suas bilheterias mundiais.

C.S. Lewis e Nárnia

A série de sete livros é considerada um clássico da literatura moderna, e catapultou o irlandês Clive Staples Lewis à condição de escritor best-seller.

Os livros das “Crônicas de Nárnia” foram escritos entre 1949 e 1954, venderam mais de 120 milhões de cópias em todo o mundo, e se baseiam em fantasias, usando elementos de mitologia grega e nórdica, além de “contos de fadas”, para narrar histórias com princípios cristãos.

Voltado ao público infantil, “As Crônicas de Nárnia” foram traduzidas para 41 idiomas. Seu autor, um entusiasta do Evangelho, ficou famoso no Reino Unido por atuar como apologista cristão, escritor, crítico literário e pregador da Palavra.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.