Comitê de Respeito à Diversidade Religiosa promove reunião pública em Araguaína
Comitê de Respeito à Diversidade Religiosa promove reunião pública em Araguaína

Reafirmar os direitos humanos e a diversidade religiosa como questões fundamentais para a construção de uma sociedade democrática, onde prevaleça uma cultura de paz, com mais tolerância, é a finalidade da reunião pública que será realizada pelo Comitê Estadual de Respeito à Diversidade Religiosa, com apoio da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), em Araguaína, nesta sexta-feira, 12, no auditório do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (Itpac), às 14 horas. As inscrições para participação serão feitas no local.

Durante a reunião pública, acontecerão palestras e debates sobre a laicidade do Estado, a intolerância religiosa e o ensino religioso nas escolas. “Contamos com a participação nessa conversa, de estudantes, professores e técnicos da educação básica e superior, movimentos sociais, membros de igrejas e gestores públicos”,convidou a assessora de Direitos Humanos da Seciju, Bárbara Sousa.

A reunião pública será presidida pela secretária de Estado da Cidadania e Justiça, Gleidy Braga, e contará com palestrantes da Universidade Federal do Tocantins (UFT), como a professora doutora do câmpus de Porto Nacional, Mirian Tesseroli, que falará sobre Diversidade Religiosa; e a professora mestre do câmpus de Araguaína, Sariza Caetano, que discorrerá sobre Religiões Afro-brasileiras e invisibilidade acadêmica.

VEJA TAMBÉM
Apóstolo Elias Rocha de Araguaína é cotado para disputar vaga na Câmara dos Deputados

Também proferirá palestra o dirigente de Terreiro de Umbanda em Araguaína e membro da Federação Espírita Brasileira, José Nazareno Oliveira Aguiar, que irá expor sua trajetória religiosa como umbandista e professor da educação básica. O evento terá também a participação de um membro da Defensoria Pública Estadual, que abordará sobre a Laicidade do Estado.

Disque denúncia

Segunda Bárbara Sousa, no Tocantins, não existem denúncias formais de situações de intolerância religiosa, porém, há muitas reclamações nesse sentido. E, para receber reclamações e denúncias sobre esse tipo violação dos direitos humanos, existe o Disque 100, um serviço de atendimento da Secretaria Especial de Direitos Humanos. As ligações podem ser feitas a partir de telefone fixo ou celular, de qualquer estado do País, sendo o anonimato garantido.

Do mesmo modo, também podem ser feitas ao Comitê Estadual de Respeito à Diversidade Religiosa ou ao Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos, ambos com sede na Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça, pelos telefones: 63 3218-2058 / 6917.

Parceiros

São parceiros dessa iniciativa: o Itpac; a Diretoria Regional de Educação; a Associação Negra Cor; a Prefeitura de Araguaína, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Habitação; conselhos de direitos municipais; e líderes religiosos de diversos segmentos.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.