Segundo o governador Flávio Dino, metade do valor anunciado, ou seja, R$ 50 milhões, se refere a execução dos programas interligados ao ‘Mais Empregos’, conjunto de ações que visam a geração de emprego e renda no Estado. Foto: Divulgação
Segundo o governador Flávio Dino, metade do valor anunciado, ou seja, R$ 50 milhões, se refere a execução dos programas interligados ao ‘Mais Empregos’, conjunto de ações que visam a geração de emprego e renda no Estado. Foto: Divulgação

O Governo do Maranhão está investindo cerca de R$ 100 milhões de reais em um pacote de medidas anti-crise, com o objetivo de dinamizar setores da economia local. O anúncio foi feito pelo governador Flávio Dino, na tarde desta quinta-feira (11), em encontro no Palácio dos Leões com empresários e entidades de trabalhadores. Entre as iniciativas, estão os programas Mais Empregos, Cheque Minha Casa e Mutirão Rua Digna.

Segundo o governador, metade do valor anunciado, ou seja, R$ 50 milhões, se refere a execução dos programas interligados ao ‘Mais Empregos’, conjunto de ações que visam a geração de emprego e renda no Estado. A outra metade irá circular no comércio mediante o reajuste de 12,5% no programa Bolsa Escola (Mais Bolsa Família), que repassa recursos para famílias de baixa renda para a compra de matérias escolares em lojas credenciadas.

“Nossa previsão, nesses programas [Mais Empregos], é investir imediatamente R$ 50 milhões de reais. Além disso, nós já programamos o reajuste do Bolsa Escola em 12,5%, de modo que as lojas que vendem material escolar terão, também, em torno de R$ 50 milhões de reais de vendas já asseguradas em janeiro de 2017”, disse Flávio Dino.

VEJA TAMBÉM
Sistema de Segurança do Maranhão recebe mais 45 novas viaturas

O governador ressaltou, ainda, que o valor anunciado se refere apenas aos programas do pacote anti-crise, quando o Governo já vem realizando outras ações que movimentam a economia, como o Mais Asfalto, responsável pela pavimentação de estradas, ruas e avenidas e todo o Maranhão. “Excluindo as obras públicas, focando só nos programas atinente ao setor de comércio e serviços, estamos falando em algo em torno de R$ 100 milhões de reais para ajudar na dinamização do setor de comércio”, falou.

Flávio Dino frisou o caráter arrojado da iniciativa em um período de crise fiscal que está afetando todos as federações. “Nenhum estado da federação está fazendo isso nesse momento. Nenhum, e eu digo isso com toda a tranquilidade, porque esse é um programa inovador, com a marca do Maranhão, da nossa inventividade e criatividade”, concluiu.

“Nenhum estado da federação está fazendo isso nesse momento. Nenhum, e eu digo isso com toda a tranquilidade, porque esse é um programa inovador, com a marca do Maranhão, da nossa inventividade e criatividade”, concluiu Flávio Dino

“Nenhum estado da federação está fazendo isso nesse momento. Nenhum, e eu digo isso com toda a tranquilidade, porque esse é um programa inovador, com a marca do Maranhão, da nossa inventividade e criatividade”, concluiu Flávio Dino

Aprovação de empresários e trabalhadores

VEJA TAMBÉM
Com apoio de Flávio Dino, Tiago Andrino deve assumir comando do PCdoB no Tocantins

Representantes de empresários e trabalhadores, presentes no encontro, elogiaram as iniciativas de governo para enfrentamento da crise econômica. “Para nós, vai ser um grande incentivo e acredito que toda a classe empresarial vai dar uma resposta positiva”, disse a presidente da Associação Comercial do Maranhão (ACM-MA), Luzia Rezende.

“É muito importante a criação de programas para gerar mais emprego, mais trabalho, quando estamos vivendo um momento de dificuldade de emprego. A gente espera que haja mais emprego na área de construção civil”, falou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústrias da Construção Civil de São Luís (Sindicontrucivil), Humberto França Mendes.

Pacote anti-crise

O conjunto de medidas anunciadas pelo governo estadual para aquecimento da economia reúnem três programas: o Mais Empregos, que dará desconto mensal de R$ 500 no imposto de empresas, por cada novo posto de trabalho gerado com carteira assinada; o Cheque Minha Casa, que garantirá crédito de R$ 5 mil para compra de material de construção para famílias de baixa renda; e o Mutirão Rua Digna, parceria com instituições de classe, sindicatos e associações para a pavimentação de ruas, em que o governo arcará com os serviços e com o material inicial. Os três projetos de lei para criação das medidas serão enviados para análise da Assembleia Legislativa do Maranhão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.