Ataídes alerta para a responsabilidade do voto
Ataídes alerta para a responsabilidade do voto

O presidente do PSDB/TO, senador Ataídes Oliveira, usou a tribuna do Senado Federal para fazer um alerta sobre a responsabilidade do voto nesta terça-feira (16), data que marca o início oficial da campanha eleitoral de 2016. “O futuro do país inicia-se na base, nos municípios. É preciso ter consciência do valor do voto e escolher candidatos que tenham realmente competência, responsabilidade, que tenham o espírito de servir e não o de ser servido”, discursou o parlamentar tocantinense.

Mais ainda do que a corrupção, o grande mal do Brasil é a má gestão da máquina pública, argumentou Ataídes, dando como exemplo os “números estarrecedores” que o governo Dilma e o governo Lula legaram ao país na área econômica.

“ Nossa vida é feita de escolhas, temos que saber usar com sabedoria o livre arbítrio que nos foi dado por Deus e os direitos garantidos pela nossa Constituição. Se dirigimos um carro a 200 km por hora certamente iremos morrer ou passar o resto da vida numa cadeira de rodas”, comparou o senador. “Se escolhermos um prefeito errado vamos pagar muito caro por isso”, frisou.

VEJA TAMBÉM
PEC Amastha, se aprovada, impedirá prefeito mineiro de origem italiana de concorrer ao Governo de MG

Carta de Dilma

O senador também comentou a carta da presidente afastada Dilma Rousseff ao Senado e ao povo brasileiro. “Reconhecer os próprios erros, nem pensar. O que a presidente Dilma faz é repetir a lenga-lenga sem sentido do golpe e apresentar a proposta, igualmente sem sentido, de um plebiscito sobre a antecipação das eleições”, avaliou.

 Ataídes disse concordar com a presidente afastada apenas quando ela defende a necessidade de fortalecer a democracia brasileira. “Precisamos sim. E o caminho para isso é aprovar definitivamente o impeachment e acabar com o projeto criminoso de poder do PT”, afirmou. “Até o final do mês vamos dar baixa na carteira de trabalho da presidente Dilma. E por justa causa, já que ela feriu a Constituição, a Lei Orçamentária e a Lei de Responsabilidade Fiscal, concluiu.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal.